Última hora

Última hora

Thomas Pesquet conta as suas aventuras no espaço

Em leitura:

Thomas Pesquet conta as suas aventuras no espaço

Thomas Pesquet conta as suas aventuras no espaço
Tamanho do texto Aa Aa

O astronauta francês Thomas Pesquet, de 40 anos, passou seis meses na Estação Espacial Internacional e considera que faz, também, parte da sua missão partilhar essa extraordinária experiência com os mais jovens.

Há um enorme potencial de sonho no que fazemos no espaço

Thomas Pesquet Astronauta, França

O astronauta deslocou-se ao Euro Space Center, na Bélgica, para uma sessão de consciencialização sobre espaço e ciência.

Questionado pela euronews sobre como correu a missão, Thomas Pesquet respondeu: "Foi a época mais fantástica da minha vida. Vista de órbita, a Terra é muito pequena e isolada. É algo que realmente não se consegue percecionar quando estamos aqui na Terra".

"Sair pela porta, no fato espacial, para fazer uma caminhada no espaço, foi fantástico. Estar pendurado do lado de fora da Estação, a que me agarrava só com dois dedos, enquanto observava, por debaixo dos meus pés, 450 quilómetros de vazio, foi a experiência mais extrema que já vivi", acrescentou.

Sobre o regresso na cápsula da nave Soyuz, e a primeira vez que voltou a respirar o ar puro na Terra, o astronauta disse: "Fiquei muito feliz, muito aliviado. Não me sentia fisicamente muito bem, porque voltar à Terra depois de seis meses sem sentir os efeitos da gravidade é muito difícil".

"Mas a verdade é que tinha os meus sentidos apurados ao máximo. Sentia muito o cheiro da colónia das pessoas que me retiraram da cápsula. As cores, os contrastes, tudo era sentida ao máximo", explicou.

Thomas Pesquet realizou 60 experiências científicas. Toda a missão parece ter impressionado os mais novos que o foram conhecer.

"Gostei muito de ouvir o Thomas e ele inspira-me. Gostaria de ir ao espaço, porque parece incrível. A pessoa flutua no ar e eu realmente gostaria de experimentar isso", disse uma das crianças.

"Acho que isto foi ótimo porque ele foi ao espaço. Quando saímos de um universo para entrar noutro é muito bom. Eu também gostaria de lá ir", disse outra.

Face a esta boa reação, o astronauta considera provado que "conseguimos inspirar jovens em toda a Europa, principalmente em França, mas, também, no resto da Europa".

"Isso é bom, porque há um enorme potencial de sonho no que fazemos no espaço. Não é apenas algo muito exigente, muito técnico, muito científico. Também tem o potencial de inspirar as pessoas a realizarem seus sonhos e a esforçarem-se por fazer o melhor possível. Eu certamente encorajo-as a fazê-lo", afirmou.

REUTERS/David Gray NO RESALES. NO ARCHIVES

A euronews quis saber o que vem a seguir para Thomas Pesquet, quando é que vai regressar ao espaço?

"É preciso muito trabalho aqui na Terra para poder transportar algumas pessoas para o espaço. Eu tento fazer a minha parte e continuarei a fazê-lo até que me voltem a chamar. Pode ser que saia o meu número outra vez! Se assim for, serei o homem mais feliz na Terra. Esperamos que a Estação Espacial Internacional esteja a operar até 2024, porque há compromissos nesse sentido. Espero que antes dessa data apareça uma segunda oportunidade e vou tentar manter-me saudável."