Última hora

Última hora

Costa-riquenhos envolvem-se na proteção de tartarugas marinhas

Em leitura:

Costa-riquenhos envolvem-se na proteção de tartarugas marinhas

Costa-riquenhos envolvem-se na proteção de tartarugas marinhas
Tamanho do texto Aa Aa

É o início da temporada de nidificação perto da pequena cidade costeira de Playa Ostional na Costa Rica.

A temporada de "arribadas", que significa chegadas, é também um momento de celebração para a comunidade local.

Todos os anos, entre os meses de julho e outubro, centenas de tartarugas marinhas (Lepidochelys olivacea) fazem a desova nas praias. Cada tartaruga escava um pequeno ninho na areia, põe cerca de 100 ovos e depois volta rapidamente para o mar.

Biólogos dizem que a natureza irá eliminar cerca de 30% dos ovos, mas, se tudo correr bem, de cerca de 70 a 50% dos ovos irão eclodir pequenas tartarugas no espaço de 45 a 55 dias.

Organizações de proteção ambiental e residentes limitam o número de ovos que podem ser extraídos legalmente do Refúgio de Vida Selvagem de Ostional.

O projeto é simples, mas muito eficaz: os homens da comunidade são responsáveis ​​pela limpeza da praia a cada duas semanas, removendo qualquer objeto que possa ser um obstáculo no caminho das tartarugas. As mulheres, por sua vez, são responsáveis ​​por proteger a eclosão dos ovos e garantir o caminho seguro dos filhotes até ao mar.

A comunidade local diz que desde que o novo plano de gestão começou a funcionar, o número de tartarugas e ovos eclodidos cresceu.

Os cientistas dizem que conseguem recolher dados que ajudarão a entender melhor e preservar as tartarugas marinhas.