Última hora

Última hora

Irão acusa EUA e aliados de armarem o grupo Estado Islâmico

Em leitura:

Irão acusa EUA e aliados de armarem o grupo Estado Islâmico

Irão acusa EUA e aliados de armarem o grupo Estado Islâmico
Tamanho do texto Aa Aa

Javad Zarif afirma que são os Estados Unidos e aliados que estão a apoiar o Daesh, e que gostava de ver a Europa mais ativa na promoção da paz e segurança.

Europa, Síria, Rússia e Estados Unidos foram os grandes temas da entrevista exclusiva que o ministro dos Negócios Estrangeiros do Irão, Mohammad Javad Zarif, deu à Euronews.

"O que precisamos dos europeus é tanto o compromisso político, que eles assumiram agora, como de ver as medidas colocadas em prática no terreno. Não apenas por escrito, não apenas em palavras. No setor bancário, no setor de investimento, no setor de energia, no setor de transportes, no setor das pequenas e medias empresas. Acredito que, de um modo geral, a Europa está a subestimar o seu poder e a sua influência. Acreditamos que deve ser mais ativa na paz e segurança regionais, na paz e segurança internacionais, assim como na promoção de uma maior cooperação e diálogo," afirmou o chefe da diplomacia iraniana, Javad Zarif.

Euronews: a 16 de julho os Presidentes Putin e Trump tiveram uma reunião em Helsínquia, Finlândia. Eles chegaram a algum tipo de acordo sobre a situação na Síria. Está preocupado com isso?

"Temos uma boa comunicação e coordenação com a Rússia e com o Governo sírio, e vamos continuar a fazê-lo. O nosso objetivo aqui é muito claro. E temos o mesmo objetivo que a Federação Russa, ou seja, lutar contra a o terrorismo e extremismo. Agora, se o presidente Trump quiser ter algum crédito por isso, ele deve ter o crédito por apoiar o Daesh, que é o que os Estados Unidos e seus aliados têm estado a fazer o tempo todo. O fato de armas dos EUA, armamento norte-americano ser encontrado nas mãos do grupo Estado Islâmico e de outras organizações extremistas está documentado, documentado por fontes ocidentais. Acho que devemos olhar para a realidade, aqueles que lutaram contra o terrorismo, aqueles que lutaram contra o extremismo são os sírios e aqueles que trabalham com o povo da Síria," revelou o ministro Iraniano, Javad Zarif.

Esta terça-feira, o Irão entrou com uma ação judicial contra os Estados Unidos no Tribunal Internacional de Justiça, alegando que a decisão de Washington, em maio, de impor sanções depois sair do acordo nuclear, viola um tratado de 1955 entre os dois países.