Última hora

Última hora

Terrorismo promove união de Orban e Netanyahu

Em leitura:

Terrorismo promove união de Orban e Netanyahu

Terrorismo promove união de Orban e Netanyahu
Tamanho do texto Aa Aa

Mais uma jogada improvável no mundo da política internacional.

O primeiro-ministro húngaro, Victor Orban, um líder populista de direita cujas manifestações antissemitas são sobejamente conhecidas, está em visita oficial a Israel e o primeiro-ministro israelita, Benjamin Netanyahu, agradeceu a Orban por defender Israel.

"Nós dois entendemos que a ameaça do islão radical é real, que pode colocar a Europa em perigo, pode colocar o Mundo em perigo, e certamente coloca-nos em perigo e aos nossos vizinhos árabes," afirmou Benjamin Netanyahu.

"Primeiro-ministro, no lugar em que vivemos, na Europa, estamos a passar por uma crise de migração e terrorismo. Terroristas usam as rotas dos migrantes para vir para a Europa, e devemos tomar medidas contra esse fenómeno," declarou Victor Orban.

O desejo de combater o terrorismo de inspiração islâmica fez mesmo esquecer o elogio que Orban fez a Miklos Horthy , líder húngaro que durante a II Guerra Mundial introduziu leis antissemitas e colaborou com os nazis no Holocausto.

Apesar da condenação judaica global aos comentários de Orban, o primeiro-ministro húngaro aproveitou parte da tarde de quinta-feira para visitar o Yad Vashem, o memorial que, em Israel, homenageia as vítimas do Holocausto,