Última hora

Última hora

Relatos da chegada às praias de Mati para resgatar vítimas de incêndio

Em leitura:

Relatos da chegada às praias de Mati para resgatar vítimas de incêndio

Relatos da chegada às praias de Mati para resgatar vítimas de incêndio
Tamanho do texto Aa Aa

O comandante Costas Arvanitis e o imigrante egípcio Mahmood Mesafer foram os primeiros à chegar às praias de Mati para salvar centenas de sobreviventes ao incêndio devastador, bloqueados entre o mar e o areal. Juntos resgataram 70 pessoas.

"As condições eram extremamente más. O vento era muito forte. Quando nos aproximámos desta praia o fumo era tão espesso que não conseguíamos ver absolutamente nada nem conseguíamos respirar. A temperatura era elevada. Mais parecia estarmos perante a nuvem piroclástica de um vulcão", disse Arvanitis em entrevista à Euronews.

Mahmood Mesafer captou com o telemóvel o cenário dantesco que se abateu sobre a região.

"Quando colocámos pessoas a bordo estavam a chorar. Abraçaram-nos e agradeceram. Sabemos como se sentem. Viram a morte passar debaixo dos próprios olhos e num ápice as coisas mudaram para eles", acrescentou o pescador egípcio Mahmood Mesafer.

Residente em Mati, Panagiotis Ramfos sobreviveu à tragédia mas ficou sem casa. Conseguiu levar a mãe de 80 anos para a praia e ajudar uma mulher ferida: "Uma mulher estava no interior do carro com um bebé de cinco ou seis meses. Estava em pânico. O bebé tinha morrido e ela estava a amamentá-lo. Juntamente com um amigo levámo-la para uma ambulância. Agora encontra-se no hospital, em estado crítico. Rezo para que se encontre bem",

Mais de 700 sobreviventes foram resgatados por barco e levados para o porto de Rafina durante a madrugada de terça-feira passada.