Última hora

Última hora

Armas 3D bloqueadas nos Estados Unidos

Em leitura:

Armas 3D bloqueadas nos Estados Unidos

Armas 3D bloqueadas nos Estados Unidos
Tamanho do texto Aa Aa

A justiça norte-americana suspendeu temporariamente, terça-feira, a publicação na internet dos planos digitais para a fabricação de armas usando uma impressora de 3D.

Uma possibilidade que mobilizou parte da classe política norte-americana.

Um tribunal federal de Seattle atendeu o pedido de procuradores de oito estados norte-americanos e da capital federal, Washington, que queriam impedir o acesso aos planos.

"Pedíamos uma ordem de restrição temporária de âmbito nacional, interrompendo essa decisão ultrajante do Governo federal de permitir que essas armas 3D estivessem disponíveis para download em todo o país e em todo o mundo. Ele concedeu esse alívio," declarou o Procurador Geral do Estado de Washington, Bob Ferguson.

De recordar que, no final de junho, após uma longa batalha legal, o Governo federal autorizou a empresa Defense Distributed a disponibilizar na internet os ficheiros digitais que permitem fabricar uma arma usando uma impressora 3D.

"No fundo é um caso doméstico, é uma questão de controlo interno de armas que precisa de ser tratado, não apenas pelo Congresso, mas também pela aplicação da lei. Imagino que ainda vai haver muitas conversações,” afirmou a porta-voz do Departamento de Estado, Heather Nauert.

Supostamente, os planos estariam disponíveis on-line somente a partir de 1 de agosto, mas Cody Wilson, fundador da Defense Distributed, disse à revista Wired, na terça-feira, 31 de julho, que já tinha divulgado os planos em 27 de julho. E, de acordo com a revista, já teriam sido feitos "milhares de downloads".

O objeto é de plástico mas funciona como uma arma real. Entre os vários problemas de segurança que levanta está o facto de ser potencialmente não rastreável e indetetável por detetores de metal.

Os Estados Unidos, onde cerca de 30 000 pessoas morrem a cada ano por causa de armas de fogo, já estão profundamente divididos sobre a questão da regulamentação das armas de fogo pessoais, especialmente por causa dos muitos tiroteios em massa, muitas vezes perpetrados com armas compradas legalmente.