Última hora

Última hora

Sul-americanas protestam contra a lei do aborto

Em leitura:

Sul-americanas protestam contra a lei do aborto

Sul-americanas protestam contra a lei do aborto
Tamanho do texto Aa Aa

As argentinas prometem continuar a lutar pela legalização do aborto e contam com o apoio das mulheres de outros países da América do Sul. O Senado chumbou, quinta-feira, a despenalização do aborto até às 14 semanas, gerando protestos em países, como o Brasil e o Peru.

Segundo os media argentinos, o Governo de Macri estará a ponderar introduzir a despenalização no projeto de revisão do Código Penal, mas esta opção não garantirá a assistência médica às mulheres como numa lei sobre o aborto. O projeto de revisão do Código Penal deve ser enviado ainda este mês para o Congresso.

"Agora temos um problema de fundo que não vai mudar com mais uma lei. Temos mais de cem mil crianças que nascem de gravidezes adolescentes, não desejadas. Este é um tema central para mim que está na minha agenda diária de trabalho, porque queremos que estas raparigas tenham a possibilidade de escolher e de planificar a sua vida", afirmou o presidente da Argentina, Mauricio Macri.

A Câmara de Deputados tinha aprovado em junho a legalização do aborto até às 14 semanas.