Última hora

Última hora

Manifestantes prometem não desarmar enquanto governo não cair

Em leitura:

Manifestantes prometem não desarmar enquanto governo não cair

Manifestantes prometem não desarmar enquanto governo não cair
Tamanho do texto Aa Aa

Mais de 40 mil pessoas voltaram a concentrar-se sábado à noite diante da sede de governo da Roménia, em Bucareste, num protesto anticorrupção a exigir a queda do executivo social-democrata.

O governo é atualmente liderado por Viorica Dăncilă, por impossibilidade do líder partidário Liviu Dragnea, condenado já este ano a três anos e meio de prisão por incitamento de abuso de poder.

A execução da pena de Dragnea aguarda resolução de uma ação de recurso pelo também presidente da câmara baixa do Parlamento.

Depois de uma primeira noite de protesto, na sexta-feira, com cerca de 100 mil romenos nas ruas e confrontos com as autoridades, que levaram 400 pessoas a receber assistência hospitalar, os manifestantes não desarmaram.

Corina é emigrante romena na Alemanha e, como muitos compatriotas, voltou esta semana a Bucareste porque entende ser "preciso uma mudança de governo" e quer contribuir para ela.

"[Os políticos no poder] são todos incapazes de fazer alguma coisa por nós. Apenas pensam neles próprios. Não vamos desistir. Não vamos parar até que alguma coisa mude. Até que eles nos deixem e nos deem a possibilidade de uma vida melhor", afirmou Corina à Euronews.

Os manifestantes na rua, este sábado, eram menos de metade dos de sexta-feira e esta segunda jornada de protesto acabou por ser mais pacífica.

Um dos líderes do movimento de protesto é o cantor e ator Tudor Chirilă, uma estrela na Roménia que pretende o melhor para um dos países mais pobres e corruptos da União Europeia.

"Vim aqui esta noite (sábado) porque não quero que o medo prevaleça na sociedade romena e a a última coisa que nos resta é a liberdade de protestar", afirmou Chirilă.

Entre os manifestantes, a reportagem da Euronews descobriu um cidadão holandês. Luke está casado com uma romena e fez questão de acompanhar a mulher de regresso a Bucareste para participar no protesto.

"Têm de continuar a pressionar e mostrar ao resto do mundo o que se está a passar aqui porque este governo é completamente corrupto. Pelo menos isso é o que todos já percebemos neste momento", disse-nos Luke.

Depois da violência de sexta-feira, que motivou inclusive o pedido do presidente Klaus Iohannis para uma investigação à ação das autoridades, a presença da polícia no protesto de sábado foi mais passiva.

Os manifestantes prometeram continuar este domingo a exigir a queda do governo.