This content is not available in your region

Paris um dia depois dos "coletes amarelos"

Access to the comments Comentários
De  Euronews
Paris um dia depois dos "coletes amarelos"

Paris recompõe-se. Um dia depois de cerca de oito mil manifestantes terem levado os protestos aos Campos Elísios, é tempo de recurperar dos estragos.

Lojistas e moradores preparam-se como puderam, mas a passagem dos coletes amarelos deixou um rasto de destruição impossível de evitar. Montras partidas, carros incendiados e muito lixo fazem parte de um cenário que a capital francesa quer limpar.

Ao passar por uma loja entaipada, um morador local diz, em tom de lamento, que "podemos esntender o movimento dos coletes amarelos, mas isto é inadmissível! Já passaram três semana, está tudo partido, todas as lojas têm de fechar e depois pagar por isto. E tudo recomeça na semana seguinte Toda a gente está a perder muito dinheiro".

A opinião é partilhada pelo ministro da economia francês, Bruno Le Maire, que visitou várias lojas alvos da ira dos manifestantes. "Esta pilhagem e esta violência são inaceitáveis. Têm de parar. São inaceitáveis! Não há diálogo possível enquanto a ordem não voltar às ruas"

Nas ruas, os lojistas reclamam os prejuízos causados pelo vandalismo e a pilhagem. Sentem-se impotentes perante a violência das manifestações e queixam-se ao ministro, que vai reiterando a indignação. 

O município de Paris estima que, só na semana passada, a passagem da manifestação tenha custado entre três e quatro milhões de euros. Os prejuízos causados pelos eventos deste sábado ainda estão por apurar, mas teme-se que tenham ficado ainda mais caros.