This content is not available in your region

Orçamento italiano vence mas não convence

Access to the comments Comentários
De  Bruno Sousa
Orçamento italiano vence mas não convence

Aprovado com 313 votos a favor, 70 contra e a esquerda a abandonar a sala no momento da votação, o orçamento italiano para 2019 pode respeitar as regras financeiras da União Europeia mas dificilmente convence os partidos da oposição

Unida como nunca, a oposição acusou o governo de Giuseppe Conte de não ter conseguido manter uma posição firme e de ter cedido aos interesses de Bruxelas. Uma cedência motivada pela decisão inédita da Comissão Europeia de chumbar a proposta inicial do orçamento italiano.

O ponto da discórdia era o défice previsto de 2,4% do Produto Interno Bruto. O novo documento reviu os números em baixa e conseguiu baixar a meta do défice para 2,04%, ainda longe do exigido por Bruxelas mas suficiente para merecer luz verde da Comissão Europeia.

O novo orçamento deixou cair os aumentos das pensões e do salário mínimo, o que motivou protestos da Forza Italia. Se em França têm os coletes amarelos, em Itália o partido de Silvio Berlusconi lançou o movimento dos coletes azuis para exigir uma redução da carga fiscal.

A falta de debate em torno dos novos números também foi alvo de duras críticas. O executivo italiano justificou-se com a falta de tempo ditada pela necessidade de aprovar o orçamento antes do fim do ano. Caso isso não acontecesse, o país passaria a ser liderado por um governo de gestão a partir de janeiro.