This content is not available in your region

PAIGC garante coligação com maioria absoluta

Access to the comments Comentários
De  Nara Madeira
PAIGC garante coligação com maioria absoluta
Direitos de autor  PAULO CUNHA/EPA via LUSA   -  

O PAIGC já faz festa nas ruas de Bissau. O histórico partido guineense foi o mais votado nas eleições de domingo passado. A vitória do PAIGC abre a porta ao fim de 4 anos de governos de iniciativa presidencial na Guiné-Bissau.

Em 2015, o Presidente José Mário Vaz, demitiu o governo de Domingos Simões Pereira - que tinha maioria absoluta no parlamento. Uma marca que o PAIGC não conseguiu alcançar desta vez. De acordo com a Comissão Nacional de Eleições, o partido teve 47 dos 102 mandatos.

Para garantir a maioria, Domingos Simões Pereira assinou vários acordos de coligação, sendo o mais expressivo com a Assembleia do Povo Unido, de Nuno Gomes Nabiam, partido que garantiu 5 deputados.

Os resultados provisórios oficiais dão 47 dos 102 mandatos do parlamento para o PAIGC, um número a que se somam os eleitos dos partidos que celebraram acordos com deputados eleitos pela Assembleia do Povo Unido - Partido Democrático da Guiné-Bissau (5 deputados), União para Mudança (1 deputado) e Partido da Nova Democracia (1 deputado).

"O PAIGC aceita os resultados e está preparado para governar nos próximos quatro anos, num quadro de estabilidade com os partidos aliados e todos os que defendem os princípios democráticos, colocando mais uma vez os interesses da Guiné-Bissau acima de quaisquer outros interesses", salientou Domingos Simões Pereira.

Referindo-se ainda aos resultados obtidos pelo PAIGC, Domingos Simões Pereira disse que quem ficou "desiludido ou frustrado com a escassez de resultados" é porque não compreendeu a natureza do combate que está a ser feito.

Em segundo e terceiro lugar ficaram, respetivamente o Movimento para a Alternância Democrática (27 deputados) e o Partido da Renovação Social (21 deputados) que anunciaram na terça-feira um acordo de governo, na expectativa de governarem.

Outras fontes • Agências