This content is not available in your region

Paris abre vaga de protestos contra reforma das pensões

Access to the comments Comentários
De  Rodrigo Barbosa  com AFP
Paris abre vaga de protestos contra reforma das pensões
Direitos de autor  REUTERS/Christian Hartmann   -  

Paris foi, esta sexta-feira, palco do primeiro capítulo de uma vaga de protestos contra a reforma das pensões e o desaparecimento dos regimes especiais em determinados setores da função pública.

Os trabalhadores da RATP, a rede de transportes públicos da capital francesa, responderam de forma maçica.

Jean-Christophe Delprat, funcionário da RATP: "Não há quaisquer privilégios na RATP, isso é o que dizem os media. O que temos é um esquema de pensões específico, que significa que podemos reformar-nos um pouco antes, mas isso é uma simples compensação face às difíceis condições de trabalho no quotidiano dos trabalhadores da RATP, na sua missão de serviço público."

Longas filas de trânsito e dificuldades nas deslocações em Paris foram o resultado de uma paralização quase total da rede de metro e com elétricos, autocarros e comboios periféricos a conta-gotas.

Paris não assistia a uma mobilização desta envergadura desde a anterior reforma dos regimes especiais, em 2007, sob a presidência de Nicolas Sarkozy. E a greve desta sexta-feira foi apenas o primeiro passo, como explica o correspondente da euronews, Guillaume Desjardins:

"É apenas a primeira greve contra a reforma anunciada das pensões. Na segunda-feira, advogados, médicos, enfermeiro s e pilotos seguirão o exemplo. E haverá depois, a 21 e 24 de setembro, manifestações convocadas pelos sindicatos Force Ouvrière e CGT contra esta reforma."