Morre advogada turca que esteve 238 dias em greve de fome

Access to the comments Comentários
De  euronews
Morre advogada turca que esteve 238 dias em greve de fome
Direitos de autor  BULENT KILIC/AFP or licensors

A advogada de direitos humanos turca Ebru Timtik morreu esta semana depois de 238 dias de greve de fome na prisão. Timtik estava acusada de pertencer a uma organização terrorista e decidiu fazer jejum para ter um "julgamento justo".

Ebru Timtik foi condenada em março do ano passado a 13 anos e meio de prisão, juntamente com mais 17 advogados da Associação de Advogados Progressistas por alegadas ligações com o grupo armado Partido Frente Revolucionária de Libertação do Povo (DHKP-C). 

"Acabamos de perder a nossa amiga advogada Ebru Timtik, que morreu após 238 dias em jejum para pedir um julgamento justo", anunciou a Associação numa publicação na rede social Twitter, na quinta-feira passada. 

Os partidos da oposição há muito questionam a imparcialidade e independência dos tribunais da Turquia. Timtik começou a greve de fome em janeiro, na prisão, depois de alegadas injustiças no processo. Foi hospitalizada no final de mês de julho depois do tribunal se ter recusado a libertá-la, apesar do Instituto de Medicina Forense de Istambul ter avisado, através de um relatório, sobre a sua deterioração física.

Ebru Timtik acabou por morrer, pesava 30 quilos. É a quarta prisioneira a morrer este ano na Turquia em greve de fome, depois da morte dos dois músicos da banda Grup Yorum e a morte de Mustafa Koçak, que também pedia pedia um julgamento de acordo com a lei.