This content is not available in your region

Inquilinos respiram de alívio

Access to the comments Comentários
De  Nara Madeira  com AP, AFP
Inquilinos respiram de alívio
Direitos de autor  ANGELA WEISS/AFP or licensors   -  

Um alívio para muitos residentes nos EUA que temiam ser despejados. A administração Trump prolongou a moratória que proíbe a prática, até 2021, para quem comprovar que não pode pagar as rendas. 

Uma medida já adotada pelo governo estadual na Califórnia. O decreto tinha sido aprovado pelo Congresso dos EUA em março mas tinha expirado em julho. O ativista Jamell Henderson, da New York Communities for Change, explica que a moratória deveria manter-se até acabar a pandemia. "A cidade de Nova Iorque tem sofrido um duro golpe. Sofremos com a primeira vaga e estamos a preparar-nos para a segunda. Já estamos em setembro, é a temporada da gripe. Não sabemos o que vai acontecer e as pessoas precisam sentir-se seguras", explica.

Marle Supe, 47 anos, mãe de dois filhos, desde abril que vive grandes desafios. Emigrou para os EUA, vinda do Equador há 15 anos. A Covid-19 tirou-lhe, como se costuma dizer, o tapete:

"O meu marido foi contagiado em março. Consegui pagar a renda até abril, depois disso já não. Não é que não queiramos pagar, é porque não temos trabalho. (...) Para fazê-lo ficaríamos sem dinheiro para o nosso sustento, para a alimentação dos nossos filhos", desabafa.

Mas muitos criticam que se minimiza um problema criando outro. São necessárias ajudas para os proprietários que, nesta situação, se encontrem também em dificuldades, o que esteve previsto mas as negociações sobre o dossier, entre Casa Branca e Democratas, estão bloqueadas.