Municipais brasileiras marcadas pela abstenção

Access to the comments Comentários
De  Euronews
Fila de espera para votar na Rocinha, Rio de Janeiro
Fila de espera para votar na Rocinha, Rio de Janeiro   -   Direitos de autor  Silvia Izquierdo/Copyright 2020 The Associated Press. All rights reserved.   -  

Há, para já, um grande vencedor nas eleições municipais que se realizaram, este domingo, no Brasil: chama-se abstenção e atingiu mais de 23%, uma fasquia que não era era vista nos escrutínios locais há duas décadas.

No Rio de Janeiro, por exemplo, um terço do eleitorado não compareceu às urnas. Mesmo assim, o presidente do Tribunal Superior Eleitoral afirma que, em plena pandemia, o resultado podia ser muito pior.

Ricardo Borges/Copyright 2020 The Associated Press. All rights reserved.
Jair Bolsonaro chega ao local de voto, Rio de JaneiroRicardo Borges/Copyright 2020 The Associated Press. All rights reserved.

Na maior cidade brasileira, São Paulo, o atual prefeito, Bruno Covas, do Partido da Social Democracia, passa à segunda volta do dia 29 de novembro com perto de 33% dos votos. Irá acompanhado de Guilherme Boulos, do Partido Socialismo e Liberdade, que arrecadou 20% das votações.

No primeiro escrutínio desde a eleição de Jair Bolsonaro, o Rio de Janeiro viveu a situação inversa: o prefeito em funções, Marcelo Crivella, dos Republicanos, obteve quase 22%, ficando bastante atrás de Eduardo Paes, o candidato dos Democratas, com um apoio na ordem dos 37%.