This content is not available in your region

Fukushima uma questão central dez anos depois

Access to the comments Comentários
De  euronews
Fukushima uma questão central dez anos depois
Direitos de autor  AP Photo

Há dez anos o Japão era abalado por um terramoto mortífero.A 11 de março de 2011 a central nuclear de Fukushima foi também parcialmente destruída por um tsunami. O governo japonês e a empresa proprietária da central, a Tokyo Electric Power (TEPCO) procedem ao desmantelamento do local desde essa altura. Três dos seis reatores estão agora sob controlo: os reatores 4, 5 e 6.

Mas existe outro grande problema nas instalações onde a água contaminada é tratada. O governo está a avaliar a melhor solução  que será implementada, no máximo, dentro 2 anos, após o sinal verde da autoridade de segurança nuclear, um órgão independente que supervisiona a segurança das instalações e que foi criado após o desastre de Fukushima.

O trítio é uma parte da molécula de água, com um período de radioatividade muito curto e que não permanece no corpo humano. A água tratada é armazenada em mil tanques que estarão cheios em 2022. Será necessário eliminar a água filtrada e existem duas possibilidades previstas: vaporizá-la no ar ou depositá-la no mar. Mas isso preocupa os pescadores e os agricultores locais que temem que os seus produtos voltem a sofrer com a má reputação.

Segundo as previsões, o desmantelamento da central nuclear de Fukushima estará concluído daqui a 30 ou 40 anos.

Chernobyl, por exemplo, libertou uma grande quantidade de plutónio e amerício. Portanto, Chernobyl ficará contaminada para sempre. Fukushima é uma história completamente diferente. Porque, basicamente, Fukushima libertou césio radioativo. O césio 137 tem uma duração de vida de 30 anos.
Georg Steinhauser
Professor - Universidade Leibniz - Hannover

Desde o desastre, o Japão mudou os padrões de segurança para as centrais nucleares.

As autoridades também estão a trabalhar na reconstrução das zonas descontaminadas ao redor Fukushima, para que os moradores possam eventualmente regressar.