This content is not available in your region

Antigo mafioso assassino libertado da prisão por bom comportamento

Access to the comments Comentários
De  Francisco Marques  com Ansa
Antigo mafioso assassino libertado da prisão por bom comportamento
Direitos de autor  Frame   -  

O antigo membro da máfia siciliana, Giovanni Brusca, responsável pelo assassinato do juiz Giovanni Falcone há quase três décadas, foi libertado pela justiça italiana por alegado bom comportamento e cooperação com as autoridades.

O reconhecido mafioso, hoje com 64 anos, foi um colaborador próximo de Toto Riina, o chefe da "Cosa Nostra", além do atentado contra o juiz Falcone esteve envolvido noutros crimes como o rapto, assassinato e diluição em ácido de um adolescente, num ato de vingança dos "patrões", esteve preso durante 25 anos, foi libertado esta segunda-feira e vai manter-se em regime de vigilância pelas autoridades.

A libertação antecipada em 45 dias face à sentença decretada chocou muitos italianos.

É o caso de Tina Montinaro. A viúva de Antonio Montinaro, um dos chefes de segurança do juiz Falcone e que também foi vítima do atentado de Brusca, sente-se "desrespeitada pelo Estado italiano".

O Estado está contra nós, 29 anos depois e ainda não sabemos a verdade(...). <br><br>"O homem que destruiu a minha família foi libertado
Tina Montinaro
Viúva de vítima de Giovanni Brusca

Tina Montinaro lembra que Brusca "nunca revelou quem foram os mandantes do atentado" contra o juiz e por isso sente que "não está a ser feita justiça" na libertação do antigo mafioso.

O antigo presidente do Parlamento Europeu, Antonio Tajani, disse ser "impossível acreditar que um criminoso como Brusca possa merecer qualquer favor". "A sua libertação da prisão provoca-me arrepios na coluna", assumiu Tajani.

"Uma pessoa que cometeu estes atos, que dissolveu uma criança em ácido, que matou Falcone, é na minha opinião uma besta selvagem e não pode sair da prisão", considerou Matteo Salvini, o líder do partido de extrema-direita Liga Norte.

A favor da libertação está Pietro Grasso, um antigo procurador italiano anti,afia e ex-presidente do senado.

Non c’è nessuna forma di buonismo o perdono da parte mia nei confronti di Giovanni Brusca: oltre a tutto ciò che sapete,...

Posted by Pietro Grasso on Tuesday, June 1, 2021

"A indignação de muitos políticos que pouco percebem do código penal e a luta contra a máfia assusta-me", escreveu Grasso na respetiva página de Facebook, defendendo que a redução de penas "para aqueles que ajudam o Estado" é uma recompensa necessária para estimular mais denúncias.