This content is not available in your region

França e Itália reforçam cooperação bilateral

Access to the comments Comentários
De  euronews
euronews_icons_loading
França e Itália reforçam cooperação bilateral
Direitos de autor  Alberto Pizzoli/Copyright 2021 The Associated Press. All rights reserved

A França e a Itália assinaram um novo tratado que reforça a cooperação transalpina após alguns anos de relações turbulentas.

O Tratado Quirinale, assinado em Roma, reforça a cooperação entre os dois países numa lista extensa de áreas incluindo defesa e telecomunicações. 

O primeiro-ministro italiano referiu áreas importantes de convergência.

"No campo das migrações, reconhecemos a necessidade de uma política de gestão dos fluxos de asilo, partilhada pela União Europeia e baseada em princípios de responsabilidade e solidariedade. Estamos empenhados em proteger os nossos sistemas agrícolas. Neste ponto alcançámos uma posição comum: é uma questão muito importante para os nossos dois países", disse Mario Draghi.

Do lado francês, o presidente Emmanuel Macron destacou outras áreas de cooperação em particular a indústria espacial.

"Agimos igualmente no âmbito de grandes projetos de interesse comum europeu, tais como o hidrogénio, a nuvem e o espaço. Esta manhã anunciámos um acordo importante sobre o espaço, que dá novo impulso a esta indústria, tão importante para as nossas empresas, tanto nos campos civil como militar. Recebemos clarificações sobre novos lançamentos e projetos. Trata-se de uma página muito importante da nossa cooperação espacial", acrescentou Emmanuel Macron.

Segundo o novo Tratado, Roma e Paris devem coordenar-se antes das cimeiras de líderes do Conselho Europeu ou de outras reuniões da UE para tentar acordar uma posição comum, um processo que já tem lugar entre a França e a Alemanha. 

O tratado inclui ainda um compromisso para reforçar a estratégia de defesa da UE como complemento das capacidades da NATO. 

O novo Tratado bilateral espelha o Tratado do Eliseu assinado entre a França e a Alemanha e ratificado em 1963.