This content is not available in your region

BioNTech quer levar para África unidades de produção móvel de vacinas

Access to the comments Comentários
De  Euronews
BioNTech quer levar para África unidades de produção móvel de vacinas
Direitos de autor  AP Photo   -  

A BioNTech, que juntamente com a Pfizer desenvolveu a primeira vacina RNA mensageiro contra o coronavírus, apresentou unidades móveis de produção de vacinas alojadas em contentores, com o objetivo de levar o fabrico para África em "meados deste ano".

A empresa disse que espera enviar os chamados "BioNTainers" para o Ruanda ou Senegal, ou para ambos os países.

No anúncio no local de produção da vacina da BioNTech em Marburg, Alemanha, que usa o RNA mensageiro, marcaram presenca os presidentes do Ruanda (Paul Kagame), Senegal (Macky Sall) e Gana (Nana Akufo-Addo), e o diretor dos Centros Africanos de Controlo de Doenças e Prevenção (John Nkengasong), além de Ugur Sahin, CEO e co-fundador da BioNTech.

Tedros Adhanom Ghebreyesus, diretor-geral da Organização Mundial de Saúde traçou o cenário actual: 

116 países podem não atingir a meta de 70% que estabelecemos para nós mesmos até meados deste ano. Isto tem de ser resolvido. É por isso que aumentar a produção local é fundamental para preencher essa lacuna
Tedros Adhanom Ghebreyesus
Diretor-geral da Organização Mundial de Saúde

No início deste mês, a empresa de biotecnologia sul-africana Biologics anunciou que produziu a primeira vacina contra o coronavírus do continente baseada na tecnologia mRNA, usando o código genético disponível publicamente usado pela rival da BioNTech, Moderna.

A África é o continente menos vacinado contra a COVID-19. Mais de um ano depois do lançamento no mercado das primeiras vacinas apenas cerca de 12% dos africanos receberam todas as doses.