Cargueiro continua em chamas ao largo dos Açores e mantém ameaça de poluição

Access to the comments Comentários
De  Francisco Marques
O navio "Felicity Ace" ainda com um incêndio a bordo ao largo da ilha dos Açores
O navio "Felicity Ace" ainda com um incêndio a bordo ao largo da ilha dos Açores   -   Direitos de autor  Marinha Portuguesa

Um cargueiro com bandeira do Panamá está a arder ao largo dos Açores, em Portugal, com mais de 3.500 carros a bordo, mas sem aparente perigo de que o fogo chegue aos tanques de combustível.

O incêndio terá começado na quarta-feira da manhã, altura em que foi enviado um pedido de ajuda. A Marinha portuguesa, com apoio da Força Aérea, lançou uma operação de socorro e resgatou horas depois os 22 membros da tripulação para o aeroporto da Horta.

Os tripulantes não necessitaram de ajuda médica e foram instalados numa unidade hoteleira da capital da ilha do Faial. De acordo com o capitão do Porto da Horta, esta quinta-feira não havia sinais de poluição nem perigo de que o fogo chegasse aos tanques de combustível, que "estão todos abaixo da linha de água e vedados".

Na quinta-feira foi já enviado para o local "um rebocador e três técnicos" para uma primeira avaliação do estado do cargueiro.

A ameaça de poluição mantém-se. Algumas das baterias de ião lítio dos veículos a bordo terão pegado fogo e é preciso equipamento especial para extinguir este tipo de fogo, explicou João Mendes Cabeças, o capitão do Porto da Horta.

"O navio está a arder de uma ponta a outra. Tudo está em chamas cinco metros acima do nível do mar", revelou o responsável.

Esta sexta-feira, era aguardada mais uma equipa especializada com "10 técnicos de uma empresa holandesa contratada pelo armador" para uma avaliação mais aprofundada e para começar a delinear um plano para rebocar o navio.

Reboques estão também a caminho do "Felicity Ace, oriundos de Gibraltar e dos Países Baixos. Devem chegar na quarta-feira.

O cargueiro não pode ser rebocado para os Açores devido à sua envergadura e deverá ter de ser levado ou para um país eurpeu ou para as Bahamas.

O navio, batizado "Felicity Ace", encontrava-se a navegar cerca de 90 milhas, o equivalente a quase 170 quilómetros, a sul da ilha do Faial, transporta, entre diversos modelos do grupo Volkswagen, pelo menos 1.100 da marca Porsche, 189 Bentleys e ainda alguns Lamborghinis e diversos Audi.

De acordo com informações veiculadas por diversos meios de comunicação, nomeadamente nos Estados Unidos, ainda não é conhecido o estado dos veículos a bordo do navio, mas um email interno da fabricante, citado pelo portal Fortune, revela que alguns estarão em risco, nomeadamente os modelos Volkswagen GTI, Golf R e ID.4, que tinham como destino Houston, no Texas.

O cargueiro estava em trânsito de Emden, na Alemanha, para Davisville, em Rhode Island, nos Estados Unidos, onde alguns dos clientes destinatários dos veículos estão já a ser informados do futuro incerto da encomenda.

O "Felicity Ace" é um navio cargueiro de veículos lançado ao mar em 2005. Tem 199,9 metros de comprimento por 32,2 metros de largura e quase 18 mil toneladas de porte bruto, com um calado (parte do navio que fica submersa) de 9,2 metros.

Este incidente acontece quase três anos depois de um outro cargueiro transportando veículos do grupo Volkswagen ter afundado ao largo de La Rochelle, quando navegava de Hamburgo, na Alemanha, para Casablanca, em Marrocos, com alguns contentores a ter como destino finalo Brasil.

O navio italiano "Grande America" pegou fogo numa viagem em que transportava cerca de dois mil veículos, incluindo modelos de última geração da Porshe e da Audi, mas também alguns contentores com produtos perigosos, incluindo ácido sulfúrico.

Nesse incidente de 2019, o navio acabou por derramar óleo no mar, provocando uma mancha com 10 quilómetros de comprimento por um quilómetro de largura, que ameaçou as zonas balneares de Vendée até Biarritz. Algo que parece estar descartado agora no caso do "Felicity Ace".

Outras fontes • Marinha, Lusa