This content is not available in your region

Líder da oposição da bielorrussa lança manifesto antiguerra

Access to the comments Comentários
De  euronews
Líder da oposição da bielorrussa lança manifesto antiguerra
Direitos de autor  PETRAS MALUKAS/AFP   -  

A líder da oposição bielorrussa, Sviatlana Tsikhanouskaya, lançou uma "mobilização antiguerra" na Bielorrússia.

Tsikhanouskaya sublinhou a ilegitimidade do Governo do ditador Alexander Lukashenko, acusando-o de estar a praticar um "crime internacional" em conjunto com a Rússia e de violar a legislação do país, em particular o Tratado de Amizade assinado entre a Bielorrússia e a Ucrânia, em 1995.

O manifesto para esta "mobilização antiguerra" foi publicado nas redes sociais.

"É dos nossos aeródromos que os aviões descolam e lançam bombas sobre Zhytomyr, são lançados rockets dos nossos campos em Chernigov. Centenas de tanques entram todos os dias na Ucrânia através dos nossos postos fronteiriços. Estou a declarar uma mobilização antiguerra. Na próxima semana, todas as nossas ações deverão conduzir a dois resultados: os bielorrussos já não são vistos como agressores, os militares bielorrussos recusam-se a participar na guerra ou passam imediatamente para o lado dos ucranianos", referiu a líder da oposição bielorrussa.

Embora Alexander Lukashenko negue qualquer intervenção militar direta, o Kremlin anunciou que na terça-feira, as tropas da Bielorrússia foram mobilizadas, pela primeira vez, para a Ucrânia onde se vão juntar à guerra ao lado dos russos.

No início da semana, o Governo de Minsk aprovou uma revisão constitucional que termina com a neutralidade nuclear do país.