This content is not available in your region

Confinamento total em Xangai

Access to the comments Comentários
De  euronews
Equipas de saúde reforçadas para testar toda a população em Xangai
Equipas de saúde reforçadas para testar toda a população em Xangai   -   Direitos de autor  AFP   -  

26 milhões de pessoasconfinadas em Xangai. A totalidade da população do mais importante centro financeiro chinês está em casa devido a um novo surto de Covid-19. O director do grupo de trabalho para o controlo de epidemias já veio assumir que a situação é "extremamente severa". Gu Honghui, citado pelos meios de comunicação estatais chineses, revelou que o surto na cidade "ainda estava a um nível elevado".

O governo de Pequim enviou mais de 10 mil profissionais de saúde de todo o país para reforçar as equipas de tratamento e despistagem.

A maior parte do leste de Xangai, que deveria ter reaberto na sexta-feira passada, permanece fechada juntamente com a metade ocidental da cidade. As autoridades reavaliariam as medidas preventivas após a análise dos resultados dos testes a todos os residentes da cidade. "Antes disso, pede-se aos cidadãos que continuem a seguir as actuais medidas de encerramento e que permaneçam nas suas casas, excepto em situações médicas e outras situações de emergência", disse Gu Honghui.

Xangai comunicou mais de 73.000 infecções de Covid-19 positivas desde o ressurgimento da variante altamente contagiosa do Omicron, em Março. No entanto nenhuma morte foi atribuída a este surto em Xangai.

A taxa de vacinação da China ronda os 90%, mas as vacinas contra o vírus inactivado produzidas internamente são consideradas menos eficientes do que as vacinas contra o mRNA, tais como as produzidas pela Pfizer-BioNTech e Moderna, que são utilizadas no estrangeiro. As taxas de vacinação entre os idosos são também muito mais baixas do que a população em geral, com apenas cerca de metade das pessoas com mais de 80 anos totalmente vacinadas.