This content is not available in your region

Habitantes de Xangai exigem fim do confinamento devido a covid-19

Access to the comments Comentários
De  Euronews  com AP
euronews_icons_loading
Moradores de um bairro de Xangai, China
Moradores de um bairro de Xangai, China   -   Direitos de autor  AP Photo

Grupos de moradores em Xangai estão a exigir o levantamento das restrições sanitárias impostas pelas autoridades chinesas na cidade. A revolta surgiu após residentes de um condomínio privado terem exigido, com sucesso, o fim das regras de combate à covid-19 que os impediam de sair de casa 

A história de triunfo espalhou-se rapidamente em grupos de conversação, esta semana. 

No final da semana, outros grupos de residentes tinham confrontado a administração nos seus condomínios, conseguindo obter, em alguns casos, pelo menos uma libertação parcial.

Embora não seja claro quão generalizados estão, os incidentes refletem a frustração acumulada ao longo de mais de sete semanas de confinamento, mesmo quando o número de novos casos diários caiu para algumas centenas, numa cidade de 25 milhões de pessoas.

Mais de 21 milhões de pessoas em Xangai estão agora em "zonas de precaução", a categoria menos restritiva. Em teoria, os habitantes são livres de sair. Na prática, a decisão cabe aos seus comités residenciais, medida que tem resultado numa multiplicidade de regras arbitrárias.

Ha residentes autorizados a sair, mas apenas durante algumas horas e com um passe especialmente emitido para um dia, ou determinados dias da semana. Alguns lugares permitem apenas a saída de uma pessoa por agregado familiar. Outros proíbem mesmo as pessoas de sair.