This content is not available in your region

Programa Alimentar Mundial apoia populações em perigo no Afeganistão

Access to the comments Comentários
De  Nara Madeira  com AFP, AP
euronews_icons_loading
Destruição causada por terramoto no Afeganistão
Destruição causada por terramoto no Afeganistão   -   Direitos de autor  Ebrahim Noroozi/Copyright 2022 The Associated Press

O Programa Alimentar Mundial enviou 18 camiões carregados de barras energéticas para ajudar a alimentar as populações das zonas remotas do Afeganistão, devastadas pelo terramoto de 22 de junho,e unidades móveis de armazenamento.

O PAM planeava fornecer, como se lia na sua página na internet, alimentos de emergência a 3.000 famílias e dizia-se pronto a aumentar esse apoio enquanto se "aguardam os resultados das avaliações" que estão em curso no terreno, conduzidas com parceiros do organismo.

"O terramoto irá apenas aumentar as já enormes necessidades humanitárias que suportam diariamente, incluindo as quase 19 milhões de pessoas em todo o país que enfrentam uma fome extrema e necessitam de assistência".
Gordon Craig
Vice-diretor Nacional do PAM no Afeganistão

Os distritos remotos de Giyan e Barmal, na província de Paktika, e Spera, em Khost, estão entre as áreas mais atingidas. Em Barmal, mais de 70 por cento das casas foram, completamente, destruídas, precisava o PAM.

Muitos sobreviventes aguardam, ainda, por assistência por habitarem em áreas onde as estradas foram totalmente destruídas, o que impossibilita a chegada das equipas de socorro. Uma corrida contra o relógio nas províncias de Paktika e Khost.

O PAM frisava, na internet que o facto da economia do país estar em colapso, as épocas de seca, o aumento dos preços dos alimentos e a pandemia da Covid-19 têm contribuído para a continuação do sofrimento de milhões de pessoas.