This content is not available in your region

Queixa em Paris contra Mohammed bin Salman

Access to the comments Comentários
De  Euronews
Mohammed bin Salmane em França
Mohammed bin Salmane em França   -   Direitos de autor  AP Photo   -  

Continua a polémica à volta da visita do príncipe herdeiro saudita a França e do encontro com Emanuel Macron.

Várias associações de direitos humanos recordaram o papel de Mohammed bin Salman no assassinato de Jamal Khashogghi, e duas delas apresentaram uma queixa por cumplicidade na morte do jornalista.

O documento de 42 páginas afirma que bin Salman "é cúmplice da tortura e do desaparecimento forçado do jornalista” e que "não goza de imunidade de acusação porque, como príncipe herdeiro, não é chefe de estado.

A Amnistia Internacional destaca a importância destas ações. Em declarações à Euronews, a secretária-geral da organização defendeu que a possibilidade de se poder avançar com medidas legais é muito positiva. “Significa que não damos espaço à impunidade. E se essas medidas embaraçarem Mohammed bin Salman e Emmanuel Macron, já é uma vitória para nós”, declarou Agnès Callamard.

Vários líderes mundiais já foram condenados no Tribunal Penal Internacional por tortura ou crimes de guerra, mas os casos continuam a ser raros, e só acontecem quando estes líderes saem do poder.