This content is not available in your region

77° Aniversário da Bomba Atómica de Nagasaki

Access to the comments Comentários
De  Maria Barradas
Cerimónia do 77° aniversário da bomba de Nagasaki
Cerimónia do 77° aniversário da bomba de Nagasaki   -   Direitos de autor  STR/AFP   -  

Três dias depois de Hiroshima, é a vez de Nagasaki assinalar o septuagésimo sétimo aniversário do bombardeamento atómico norte-americano.

O primeiro-ministro do Japão, Fumio Kishida, alertou para o perigo que o mundo atravessa atualmente.

"A ameaça das armas nucleares e a possível utilização de armas nucleares estão a tornar-se reais. Como que a dizer que o ímpeto para um mundo sem armas nucleares está a retroceder. Continuarei a apelar para não se cometer o mesmo erro com as armas nucleares", disse.

Takashi Miata, um sobrevivente da bomba atómica, faz um paralelo com a atual guerra na Ucrânia:

"As sirenes de ataque aéreo a tocarem na Ucrânia fizeram-me lembrar o medo que senti quando a bomba atómica foi lançada".

O presidente da câmara da cidade, Tomihisa Taue, lembrou que a "única forma de salvar o futuro da humanidade é a eliminação das armas nucleares" e exortou o governo japonês a "liderar uma diplomacia de paz, que não dependa da dissuasão nuclear".

A Campanha Internacional para a Abolição das Armas Nucleares lembrou a tragédia, afixando a hora a que a bomba pulverizou tudo ao seu redor, a 9 de agosto de 1945.

O bombardeamento da cidade japonesa de Nagasaki com a bomba de plutónio Fat Man, a 9 de Agosto de 1945, causou uma terrível devastação humana e contribuiu para a rendição do Japão e o fim da Segunda Guerra Mundial.

Terrível devastação humana

A Fat Man foi largada a uma altitude de 1.650 pés sobre Nagasaki com um rendimento de 21 kilotons, cerca de 40 por cento mais poderoso do que o Little Boy tinha sido, sobre Hiroshima. O lançamento foi feito quase diretamente sobre as fábricas Mitsubishi que eram os principais alvos da cidade, em vez de sobre os bairros residenciais e comerciais mais a sul. Dezenas de milhares de civis, especialmente crianças, já tinham sido retirados da cidade. A série de colinas que sustentavam Nagasaki também limitou um pouco a explosão inicial e restringiu os danos. 

Ainda assim, o impacto foi devastador, particularmente porque as pessoas tinham visto a claridade após um aviso prévio de ataque aéreo, e tinham deixado os seus abrigos. Tudo, numa milha à volta da zona de impacto,  foi aniquilado. 14 mil casas explodiram em chamas. Pessoas próximas da explosão foram vaporizadas; e as que tiveram o azar de estar fora daquele raio ficaram com queimaduras horríveis e, mais tarde, envenenamento por radiação que acabaria por as matar.

Embora as estimativas variem, talvez 40.000 pessoas tenham sido mortas pela detonação inicial. No início de 1946, mais 30.000 pessoas estavam mortas. E nos cinco anos seguintes, bem mais de 100.000 mortes foram diretamente atribuíveis ao bombardeamento de Nagasaki de 9 de Agosto de 1945.

A cidade tem um projeto de preservação das árvores que sobreviveram, e que se mantém como símbolos de paz, resiliência e esperança.