This content is not available in your region

Dinamarca e Reino Unido reforçam apoio à Ucrânia

Access to the comments Comentários
De  Bruno Sousa
euronews_icons_loading
Copenhaga e Londres reforçam apoio a Kiev
Copenhaga e Londres reforçam apoio a Kiev   -   Direitos de autor  Philip Davali/AP

O apoio à Ucrânia no esforço de guerra discute-se a milhares de quilómetros da linha da frente, mais concretamente em Copenhaga, palco de mais uma Conferência Internacional de Doadores.

A iniciativa conjunta dos governos de Dinamarca, Reino Unido e Ucrânia promete debater e reforçar a ajuda a Kiev com dinheiro, mas não só.

Mette Frederiksen, primeira-ministra da Dinamarca, lembra que "precisamos de continuar todos a apoiar a Ucrânia e de aumentar o nosso apoio, com treino militar e financiamento para desminagem. Espero que possamos chegar a acordo para mais contribuições".

"A Dinamarca está preparada para fazer a sua parte. Podemos anunciar uma nova contribuição de 110 milhões de euros para armas, equipamento e formação."
Mette Frederiksen
Primeira-ministra da Dinamarca

O Presidente ucraniano, Volodymyr Zelenskyy, participou no encontro por videoconferência, lembrando aos presentes os perigos de uma catástrofe nuclear, citando como exemplo o sucedido em Chernobil em 1986, e acusou a Rússia de terrorismo nuclear.

Além da Dinamarca, também o Reino Unido reforçou o apoio a Kiev, anunciando o envio para a linha da frente de um "número significativo" de lança-rockets capazes de atingir alvos a 80 quilómetros.