This content is not available in your region

Ex-diretor financeiro da "Trump Organization"admite fraude fiscal

Access to the comments Comentários
De  Nara Madeira  com AP, AFP
Ex-diretor financeiro da "Trump Organization" abandona o tribunal
Ex-diretor financeiro da "Trump Organization" abandona o tribunal   -   Direitos de autor  John Minchillo/Copyright 2022 The Associated Press   -  

O ex-diretor financeiro da "Trump Organization" declarou-se culpado de fuga aos impostos, admitindo ter recebido mais de 1,7 milhões de dólares em bónus não tributados, num esquema em prática na empresa do antigo presidente dos EUA durante vários anos.

Allen Weisselberg, que era considerado um dos principais aliados de Trump e que é até agora o único a ser julgado e sobre quem recaem acusações, chegou a acordo com o Ministério Público e deverá cumprir cinco meses de prisão, com possibilidade de saída antecipada por bom comportamento, mas sujeito a cinco anos de liberdade condicional e vai pagar quase dois milhões de euros aos cofres públicos dos EUA.

Weisselberg, que ainda trabalha para a organização mas como conselheiro, concordou testemunhar, pela acusação, no julgamento da "Trump Organization", num processo por fraude fiscal, que deverá arrancar em outubro sem que o ex-chefe de Estado esteja diretamente implicado.

Se condenada, a empresa poderá ver-se obrigada a pagar, em multas, o dobro do montante de impostos não pagos entre outras coisas. Por agora a "Trump Organization" continua a garantir que não fez nada de errado e a declarar-se inocente.

Mas esta não é a única preocupação, em termos judiciais, para Donald Trump. O juiz que autorizou as buscas à sua mansão, na semana passada, diz-se "inclinado" a permitir a divulgação do documento onde se descrevem pormenores das investigações que recaem sobre si, solicitada por meios de comunicação. Decisão que não agrada ao Departamento de Justiça dos EUA.