Ucrânia prossegue contraofensiva em Kherson

Access to the comments Comentários
De  Euronews
Casa destruída por um bombardeamento russo em Chernihiv
Casa destruída por um bombardeamento russo em Chernihiv   -   Direitos de autor  Emilio Morenatti/Copyright 2022 The Associated Press. All rights reserved   -  

A Ucrânia desencadeou uma contraofensiva na região de Kherson, com vista à reconquista da cidade de 280 mil habitantes. Kiev fala de sucessos pontuais; o exército russo nega

Apesar das dificuldades, o presidente Zelenskyy mantém a determinação. No discurso de segunda-feira à noite afirmou: "A Ucrânia está a retomar o seu território. E vai retomar a região de Kharkiv, região de Luhansk, região de Donetsk, região de Zaporijia, região de Kherson, a Crimeia, definitivamente toda a nossa área aquática do Mar Negro e do Mar de Azov - desde a Ilha da Serpente até ao Estreito de Kerch. Isto irá acontecer. Isto é nosso".

A Ucrânia está a retomar o seu território.
Volodymyr Zelenskyy
Presidente da Ucrânia

Na segunda-feira, Volodymyr Zelenskyy condecorou, com as mais altas honras nacionais, a título póstumo, sete soldados.

A Rússia fala de pesadas baixas ucranianas e nega qualquer sucesso da contra-ofensiva em Kherson.

Kirill Stremousov, número dois da administração russa em Kherson disse: "Ninguém liberta a região de Kherson e a cidade de Kherson, ninguém se retira em lado nenhum. E quanto mais Zelenskyy, que é conduzido pelo ocidente, declara ofensivas, mais pessoas querem ir ao referendo [sobre a adesão à Rússia]. Por muito lamentável que pareça, vamos reconstruir Kherson, devolver tudo a todas as pessoas que sofreram com os ataques nazis ucranianos".

Quer as alegações ucranianas, quer as russas não puderam ser até agora confirmadas. Os combates prosseguem.

Entretanto, os bombardeamentos russos continuam na linha da frente do nordeste ao sul.

Houve ataques entre outras localidades, em Kharkiv, Dnipropetrovsk, Mykolaïv. Pelo menos três pessoas foram mortas e mais de duas dezenas ficaram feridas.