Herança musical do Qatar abraça influências de todo o mundo

De  Euronews
Herança musical do Qatar abraça influências de todo o mundo
Direitos de autor  euronews   -  

O Qatar tem um património musical muito vasto e a sua música tradicional está a reinventar-se e a abrir-se ao mundo, através das mais variadas influências musicais. Neste episódio do Qatar 365, fomos descobrir como é que a música clássica, a música tradicional e a música Folk se misturam para promover a cultura musical do Qatar. Examinámos ainda como é que as sinfonias árabes e ocidentais se podem juntar para proporcionar uma fusão multicultural na área cultural.

Orquestra Filarmónica do Qatar: músicos de vários países partilham conhecimentos

A Orquestra Filarmónica do Qatar (QPO) é composta por mais de 100 músicos de todo o mundo e foi criada em 2007. O seu objetivo é inspirar os adultos e crianças da região, que executam regularmente uma mistura de sinfonias árabes e ocidentais na Ópera do Qatar, em Katara.

Os músicos têm uma agenda intensiva. Para além de ensaiarem cinco dias por semana, na época alta há, normalmente, um concerto todos os fins-de-semana.

O jovem maestro convidado, David Niemann, de origem alemã, está a tornar-se rapidamente num dos maestros mais talentosos da sua geração.

"Temos músicos árabes, europeus, do extremo oriente, realmente de quase todo o lado. É uma mistura eclética e interessante de culturas e trabalhar com elas é, de facto, um prazer", salientou David Niemann, em entrevista.

Euronews
David Niemann, maestro convidado da Orquestra Filarmónica do Qatar.Euronews

A Orquestra Filarmónica do Qatar é única na medida em que, o seu propósito, vai para além da simples atuação, como explica o clarinetista austríaco Riny Moser, que faz parte da orquestra.

"Isto foi muito interessante para mim. Não apenas viver no estrangeiro, mas também fazer parte de um novo projeto cultural. E quando aqui chegámos, no final de Agosto de 2008, deparámo-nos com uma grande mistura, mais de 30 países diferentes dentro da Orquestra e, claro, todos tinham experiência, mas começámos tudo do zero", recordou, mostrando-se entusiasmado.

Jovens artistas lutam por um lugar no mundo da música

Mas não são apenas os artistas reconhecidos que estão a aperfeiçoar as suas capacidades em instrumentos de cordas, sopro de madeira e percurssão. Na Academia de Música do Qatar, há alguns jovens músicos talentosos muito promissores que pretendem tornar-se na próxima geração de músicos clássicos. Aos 10 anos de idade, Sze Han Law, é uma dessas estudantes.

"Eu toco violino e piano. Toco violino desde os meus cinco anos e toco teclados desde os meus quatro anos e piano desde os meus cinco anos. Quero ser solista e inspirar as gerações mais novas a tocar música clássica", disse.

Euronews
Sze Han, membro da Academia de Música do Qatar.Euronews

Percussão árabe e cordas em destaque

Para além de tutores de instrumentos clássicos ocidentais, muitos dos quais fazem parte da Orquestra Filarmónica do Qatar, há aqui um forte enfoque no ensino da percussão árabe e das cordas.

Ahmed Al Jaidah está a estudar o Oud, um instrumento tradicional de cordas acústicas.

“O meu professor, o Sr. Ahmed, ensinou-me a tocar o instrument Oud e a ser um aluno bem sucedido. Ele dá-me apoio e diz-me que estou a ir bem e que posso ser melhor. E dá-me sempre peças cada vez mais difíceis. É assim que consigo evoluir", referiu.

Peças musicais juntam o melhor do Oriente e Ocidente

Zlatan Fazlic, diretor da Academia de Música do Qatar, explicou que existem peças que são encomendadas à academia.

"Temos peças musicais comissionadas, feitas por compositores locais e os nossos dois conjuntos principais tocam música adaptada para instrumentos ocidentais e instrumentos árabes. Estamos muito orgulhosos por poder oferecer esse tipo de fusão entre o Oriente e o Ocidente", avançou.

Euronews
Música Árabe Tradicional fundida com o Ocidente na Orquestra Filarmónica do Qatar.Euronews

Nasser Sahim Al Jassim é um artista multifacetado. É músico, compositor, cantor e director executivo adjunto da Orquestra Filarmónica do Qatar. O seu mais recente projeto é uma missão para levar músicas folk tradicionais do Qatar a um público mais vasto.

"Tudo começou com o meu avô, que estava incumbido de criar música no Qatar durante o início do século XX. Ele passou parte dessas 'obrigações' ao meu tio, que também trabalhou nos anos 60 para começar a desenvolver a música e canções do Qatar. E depois passou isso para mim. Por isso, levei isto muito a sério e estou agora a desenvolvê-lo numa direção diferente”, disse.

Euronews
Nasser Sahim al Jassim, músico e compositorEuronews

Música folk regional com um toque moderno

A música do Qatar está imbuída numa rica tradição, mas o desafio com qualquer tipo de música folk é mantê-la viva ao longo das gerações. E nos estúdios do Qatar (Katara), a Euronews conheceu a cantora Anwar, que interpreta música folk nativa da região. Ela canta um estilo musical chamado 'Samri', mas adiciona-lhe um toque moderno.

"Os cantores interpretam canções das gerações antigas para que não se extingam e desapareçam. Estas canções antigas eram interpretadas pelos nossos antepassados. Por isso, temos de modernizá-las e continuar a cantá-las porque são definitivamente belas canções", defendeu a cantora.

Euronews
A cantora do Qatar, Anwar, acrescenta um toque moderno às canções folk tradicionais.Euronews

Música folk combinada com música eletrónica e Jazz

Nos últimos três anos, o compositor musical Faisal Al Tamimi trabalhou num projeto para levar a música folk do país a um público global. E conseguiu partilhar a sua paixão de misturar a música do Golfo com sons eletrónicos e de jazz, no recente sorteio do Mundial de Futebol, que foi transmitido em todo o mundo.

“A música é uma linguagem comum. Integrei a música do Qatar, a música americana, a música japonesa, tudo isto numa linguagem que todos possam compreender e comunicar. Algumas pessoas poderão dizer que a introdução de música eletrónica na música do Qatar, enfrequecerá a nossa identidade. Posso dizer categoricamente que não. Os estilos complementam-se. A música é uma causa humanista e graças a ela, as pessoas interligam-se, mesmo que estejam a quilómetros de distância", exemplificou.

Euronews
Faisal Al Tamimi, compositor de música do Qatar.Euronews

Legado do Qatar 2022: muito mais do que futebol

Al Tamimi acredita que o legado do Qatar 2022 vai estender-se muito para além do campo de futebol.

"Para nós, enquanto músicos, o Campeonato do Mundo é a melhor oportunidade para mostrar a todos que somos um país de civilização e de história. A melhor forma de apresentar a nossa história é através da nossa arte tradicional, uma vez que conta a nossa história desde o início. É por isso que o mundo tem de saber que o nosso pequeno país, o Qatar, que antes não era conhecido, agora é famoso e grande pela vida social e cultural, o que está intimamente ligado à música", acrescentou.

Numa altura em que o Qatar se prepara para acolher o Campeonato do Mundo de Futebol, o património musical do país está também a ser alvo de influências provenientes de todo o mundo.