This content is not available in your region

Pelosi condena ataques "ilegais" do Azerbaijão contra a Arménia

Access to the comments Comentários
De  Euronews
Nancy Pelosi, Presidente da Câmara dos Representantes dos Estados Unidos
Nancy Pelosi, Presidente da Câmara dos Representantes dos Estados Unidos   -   Direitos de autor  Stepan Poghosyan/PHOTOLURE   -  

Nancy Pelosi condenou, este domingo, os ataques do Azerbaijão contra a Arménia, que deixaram mais de 200 mortos, na semana passada. A Presidente da Câmara dos Representantes dos Estados Unidos está em visita oficial à Arménia, durante três dias, para prestar apoio ao país.

Pelosi disse que o encontro teve uma importância particular devido ao enfoque no aspeto da segurança, na sequência daquilo que classificou como “ataques ilegais e mortais” do Azerbaijão ao território arménio. Em nome do Congresso Americano, a representante condenou veementemente estes ataques, que, segundo defendeu, ameaçam as perspetivas do tão necessário acordo de paz.

Condenamos veementemente esses ataques que ameaçam as perspetivas do tão necessário acordo de paz
Nancy Pelosi
Presidente da Câmara dos Representantes dos Estados Unidos

O Azerbaijão, que defendeu ter sido forçado a reagir às provocações da Arménia, já reagiu, em comunicado, às declarações feitas pela representante norte-americana.

O Ministério dos Negócios Estrangeiros do país afirma que a declaração feita por Pelosi "distorce a situação na região". Para além disso, acrescenta que as acusações são "infundadas e injustas".

Entretanto, Anatoly Sidorov, representante da Organização do Tratado de Segurança Coletiva (CSTO), uma aliança na esfera de influência da Rússia, também já se pronunciou sobre a atual situação de tensão entre os dois países e disse ser "demasiado cedo para falar de conclusões".

Os confrontos na fronteira da Arménia com o Azerbaijão começaram a 13 de setembro. Erevan e Baku culpam-se mutuamente pelos ataques. Atualmente, há uma trégua em vigor há 5 dias, mas os dois países continuam a trocar acusações.