Venezuela declara luto nacional depois de deslizamento de terra mortal

Access to the comments Comentários
De  Euronews  com Lusa, EFE, AP
Presidente da Venezuela e a primeira dama visitam zona afetada pelas cheias
Presidente da Venezuela e a primeira dama visitam zona afetada pelas cheias   -   Direitos de autor  AP Photo/Matias Delacroix   -  

Subiu para 36 o número de mortos provocados por um deslizamento de terra que aconteceu no sábado, na cidade de Tejerías, no centro norte da Venezuela.

Entre as vítimas mortais estão dois portugueses. Continuam desaparecidas 56 pessoas. Mais de 400 casas ficaram destruídas e outras 300 têm danos parciais.

O presidente do país, Nicolás Maduro visitou a cidade e declarou três dias de luto nacional.

"Total apoio" às famílias, diz Maduro

“Contem com o total apoio do Governo humanista e bolivariano a que presido. Apoio total às famílias, aos jovens, aos chefes de família, às mulheres chefes de família, às comunidades. Apoio total apoio aos comerciantes”, disse Nicolas Maduro, à televisão estatal venezuelana, na segunda-feira.

Maduro sublinhou ter visto “destroços, centenas de casas destruídas com perda total e centenas de casas e empresas com perda parcial”.

Tejerías, no estado de Arágua, a 70 quilómetros a sudoeste de Caracas, é “uma zona de catástrofe total, de desastre”, onde ocorreram fortes enxurradas, como não foram registadas “durante muitos anos na Venezuela”, disse.

O governante pediu a quem sofreu perdas materiais que se dirija aos centros de abrigo, “até que seja organizada a reconstrução das casas” e prometeu que “ninguém será abandonado, ninguém ficará sem casa”.

Por outro lado, Maduro lembrou a tragédia de 1999, no estado de Vargas, e precisou que o que aconteceu em Tejerías foi uma destruição da mesma grandeza, mas num território mais pequeno.

“A lama, o rio, as correntes [de água] atingiram até dez metros de altura. Aí estão as marcas da destruição nas casas (…) a gente deve saber que Tejerías vai ressurgir com a ave Fénix”, frisou.

O Presidente da República Portuguesa, Marcelo Rebelo de Sousa, apresentou condolências às famílias e aos amigos dos dois portugueses.

O secretário de Estado das Comunidades Portuguesas, Paulo Cafôfo, parte esta tarde para a Venezuela para acompanhar a situação da comunidade portuguesa no país.