Rishi Sunak confirmado como líder dos Conservadores e primeiro-ministro do Reino Unido

Access to the comments Comentários
De  Euronews
Rishi Sunak ganha a corrida à liderança dos "tories" e do governo britânico
Rishi Sunak ganha a corrida à liderança dos "tories" e do governo britânico   -   Direitos de autor  AP Photo/Frank Augstein, Arquivo   -  

Rishi Sunak ficou como único candidato na corrida à liderança do Partido Conservador e foi eleito pelo Comité 1922 para assumir o cargo, o que significa também tornar-ser primeiro-ministro do Reino Unido. A eleição surgiu após o anúncio de desistência de Penny Mordaunt da corrida.

"É o maior privilégio da minha vida. Sinto-me sensibilizado e honrado", assumiu Sunak nas primeiras palavras após ter sido confirmado como novo líder do partido Conservador, prometendo "trabalhar diariamente para servir o povo britânico", numa curta declaração circunstancial.

O futuro primeiro-ministro deve receber as chaves do número 10 de Downing Street esta terça-feira, das mãos da antecessora Liz Truss, elogiada por Sunak por uma liderança "digna" assumida "sob difíceis circunstâncias tanto no estrangeiro como no país".

Antes já Mordaunt tinha aberto a porta de Downing Street a Sunak.

"Estes são tempos sem precedentes. Apesar do período curto para a eleição da liderança, é claro que os colegas sentiram que precisávamos de maior certeza hoje. Tomaram esta decisão de boa fé pelo bem do país", começou por explicar Mortaund, numa mensagem partilhada pelas redes sociais, onde expressou "todo o apoio" a Rishi Sunak, o eleito pelos Conservadores para primeiro-ministro do Reino Unido.

Acabámos de escolher agora o nosso próximo primeiro-ministro. Esta decisão é histórica e mostra, uma vez mais, a nossa diversidade e o talento do nosso partido.<br><br>Rishi tem todo o meu apoio.
Penny Mortaund
Líder da Câmara dos Comuns e ex-candidata à liderança dos Conservadores

De acordo com o sistema eleitoral britânico, o Partido Conservador foi eleito para governar e cabe ao líder do partido mais votado chefiar o executivo. Sunak será o terceiro líder dos Conservadores nos últimos três meses.

O antigo ministro das Finanças (Chancellor) ultrapassou largamente o limite mínimo de apoios entre os deputados conservadores e na noite de domingo viu ainda confirmar-se a desistência do maior rival na corrida, Boris Johnson.

O antigo primeiro-ministro foi pressionado a demitir-se em julho e acabou por sair de Downing Street no final de agosto, abrindo espaço para a entrada de Liz Truss, que então venceu Sunak na corrida pela liderança dos “Tories”.

A última chefe de Governo a ser empossada pela Rainha Isabel II durou apenas 45 dias na liderança do partido e do governo do Reino Unido. Um mini-orçamento com graves ondas de choque na economia britânica precipitou a queda de Truss e abriu nova corrida interna à liderança dos Conservadores.

Penny Mordaunt, a líder da Câmara dos Comuns em Westminster, foi a primeira a anunciar a intenção de se tornar líder do partido, mas não conseguiu reunir o limite mínimo de 100 nomeações entre os deputados conservadores.

Sunak acabou por ficar sozinho na corrida, foi já confirmado como líder do Partido Conservador e esta terça-feira deverá suceder oficialmente a Liz Truss como primeiro-ministro do Reino Unido, tornando-se no primeiro homem anglo-asiático a chefiar o Governo britânico e, com 42 anos, o mais jovem desde primeiro-ministro britânico desde Lorde Liverpool, em 1812.

Sunak é também o político mais rápido entre a primeira eleição como deputado e a assumir o cargo de chefe de Governo no Reino Unido, preparando-se para ser oficializado como o 57.° primeiro-ministro do Reino Unido.