Stoltenberg: "Retórica nuclear de Putin é perigosa, imprudente e irresponsável"

Access to the comments Comentários
De  Euronews
Jens Stoltenberg, Secretário-geral da NATO
Jens Stoltenberg, Secretário-geral da NATO   -   Direitos de autor  Olivier Matthys/Copyright 2022 The AP. All rights reserved   -  

O Secretário-Geral da NATO, Jens Stoltenberg, diz que a retórica nuclear do presidente russo, Vladimir Putin, "é perigosa, imprudente e irresponsável".

Stoltenberg fez esta declaração, durante uma visita ao porta-aviões norte-americano George H.W. Bush, que o Departamento de Defesa dos EUA diz que está a participar num exercício da NATO no Mar Adriático.

"A Rússia afirma agora falsamente que a Ucrânia se prepara para utilizar uma bomba radioativa suja no seu próprio território. Os aliados da NATO rejeitam esta alegação transparentemente falsa. A Rússia acusa frequentemente outros pelo que ela própria tenciona fazer. Já vimos isto acontecer antes, desde a Síria até à Ucrânia. A Rússia não deve usar pretextos falsos para uma nova escalada. O mundo está a acompanhar de perto".

A Rússia afirma agora falsamente que a Ucrânia se prepara para utilizar uma bomba radioativa suja no seu próprio território. Os aliados da NATO rejeitam esta alegação transparentemente falsa.
Jens Stoltenberg
Secretário-geral da NATO

O chefe da NATO saudou as sanções internacionais contra o Irão, considerando "inaceitável" que Teerão esteja a apoiar o esforço de guerra da Rússia.

"Nos últimos dias, vimos também o Irão a dar apoio ao esforço de guerra russo. Isto é inaceitável. Nenhum país deveria estar a ajudar um agressor numa guerra ilegal. Por isso, saúdo o facto de os aliados e a União Europeia estarem a implementar sanções fortes contra Teerão".

As palavras de Stoltenberg surgem no dia em que a Energoatom, a agência nuclear da Ucrânia, denuncia ações secretas da Rússia na central nuclear de Zaporíjia.

A Energoatom, que opera as quatro centrais nucleares do país, disse que as forças russas realizaram trabalhos secretos de construção durante a última semana na central nuclear ocupada e assume que "os russos estão a preparar um ato terrorista utilizando materiais nucleares e resíduos radioativos" armazenados na central.