This content is not available in your region

Incerteza sobre Starlink preocupa forças ucranianas

Access to the comments Comentários
De  Ricardo Figueira
Fragmento de rocket russo em Bakhmut
Fragmento de rocket russo em Bakhmut   -   Direitos de autor  Efrem Lukatsky/Copyright 2022 The AP. All rights reserved.   -  

Os ataques aéreos russos na Ucrânia baixaram de intensidade desde a forte ofensiva de segunda-feira, mas voltaram a matar, já esta terça-feira, na cidade de Mykolaiv, no sul do país, em que pelo menos uma pessoa morreu e vários edifícios ficaram destruídos.

Entre as forças ucranianas, as ameaças de Elon Musk de retirar o fornecimento gratuito do sistema de satélite Starlink causou alguma incerteza e mal-estar, já que as defesas antiaéreas estão muito dependentes deste sistema. O multimilionário norte-americano acabou por voltar atrás e anunciou no Twitter (cuja compra efetivou há poucos dias) que iria continuar a disponibilizar o sistema gratuitamente. Um comandante ucraniano explica as vantagens do Starlink.

No dia 15 de outubro, Elon Musk aceitou continuar a fornecer o Starlink gratuitamente à Ucrânia, mas as palavras de Musk geram incerteza junto das forças ucranianas

Roman Omelchenko, comandante da 59ª brigada de telecomunicações, explica a importância do sistema: "Não é precisa muita informação: Chegamos, instalamos e ligamos. É tudo. A conexão funciona. A Internet, a transmissão de dados... Se perdermos isto, será um duro golpe para a nossa comunicação", diz

Moscovo acusa Reino Unido

Em Moscovo, cresce o sentimento de Vladimir Putin e do círculo próximo contra as potências ocidentais... Putin acusa Londres de ter ajudado um ataque ucraniano, com mísseis e drones, contra a frota russa no Mar Negro. Para o Kremlin, o Reino Unido teve também um envolvimento direto na sabotagem dos gasodutos Nord Stream 1 e 2.

"Há provas de que o Reino Unido esteve envolvido neste ato de sabotagem ou, para usar uma linguagem mais direta, neste ato terrorista contra uma infraestrutura energética vital e não apenas da Rússia. São ações que não podemos deixar passar em claro e, com certeza, vamos considerar tomar novas medidas", disse o porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov.

Há provas de que o Reino Unido esteve envolvido neste ato de sabotagem.
Dmitry Peskov
Porta-voz do Kremlin

Frente de batalha

A evolução é muito lenta. O exército ucraniano prossegue a ofensiva de retomada das zonas anexadas pela Rússia. Em Bakhmut, na região de Donetsk, apenas poucos quilómetros separam agora as posições russa e ucraniana.