Contraofensiva ucraniana deve continuar no inverno

Access to the comments Comentários
De  Euronews
Sasha Vakulina, Euronews.
Sasha Vakulina, Euronews.   -   Direitos de autor  euronews

Oficiais ucranianos indicaram que as forças de Kiev planeiam continuar as operações ofensivas durante o inverno para consolidar os recentes sucessos no campo de batalha e impedir as forças russas de recuperarem terreno.

O Instituto para o Estudo da Guerra, um grupo de reflexão norte-americano, diz que a capacidade da Ucrânia de manter a iniciativa militar e continuar a dinâmica dos seus sucessos operacionais atuais, está dependente das forças ucranianas continuarem a conduzir sucessivas operações durante o Inverno de 2022-2023.

O instituto de reflexão acrescenta que a Rússia perdeu a maior parte do seu ímpeto no verão de 2022, depois de ter completado a sua ofensiva no Donbass.

As forças ucranianas ganharam e mantiveram a iniciativa desde Agosto de 2022 e têm vindo a conduzir uma série de operações desde então: a libertação da maior parte da região de Kharkiv, em setembro, Kherson em novembro, e está a estabelecer condições para mais conquistas noutros locais no inverno.

Aqui, incluiu-se o nordeste do país: em redor da área de Svatove-Kreminna, onde as forças ucranianas continuam a levar a cabo contraofensivas.

Alguns dos combates mais intensos acontecem no leste da Ucrânia, mais concretamente em torno de Bakhmut.

As operações russas continuam a despender mão-de-obra, munições e outros meios militares, ao mesmo tempo que obtêm ganhos tácticos limitados, que têm também uma utilidade operacional limitada, conforme avaliou o Instituto para o Estudo da Guerra anteriormente.

O Ministério da Defesa do Reino Unido acrescenta que a Rússia tem dado prioridade a Bakhmut, no seu principal esforço ofensivo, desde o início de Agosto, contudo, existe uma possibilidade realista de que a captura desta cidade se tenha tornado principalmente um objetivo simbólico e política para Moscovo.

Apesar da captura da cidade poder ter um valor operacional limitado, permitiria à Rússia ameaçar as grandes áreas urbanas de Kramatorsk e Sloviansk.