Presidente do Comité Olímpico do Brasil está detido

O presidente do Comité Olímpico do Brasil, Carlos Arthur Nuzman, foi detido por alegada participação na compra de votos com vista à eleição do Rio de Janeiro para sede dos Jogos Olímpicos de 2016.

Nuzman foi interpelado em casa, no Leblon, no âmbito da operação Unfair Play, ramificação da Lava Jato.

Em setembro, as autoridades judiciais tinham pedido o arresto de mil milhões de reais, o equivalente a 271 milhões de euros do património de Nuzman e do sócio Arthur Cesar Soares de Menezes Filho, no âmbito do mesmo caso.

De acordo com os investigadores, Nuzman, de 75 anos, integrou “um esquema internacional bastante sofisticado”, o que levou as autoridades brasileiras a pedir a cooperação de outros países, como a França, os Estados Unidos, a Inglaterra e Antígua e Barbuda
Versão original