O chefe da polícia catalã frente à justiça espanhola

O chefe da polícia regional catalã compareceu esta manhã frente à justiça espanhola acusado de sedição e desobediência. Josep Luis Trapero incorre numa pena de até 15 anos de prisão por alegada omissão ao dever, durante os protestos que seguiram as rusgas da Guardia Civil contra vários edifícios oficiaisem Barcelona nos dias 20 e 21 de Setembro, acompanhadas por 14 detenções.

Trapero assim como Teresa Laplana, outra responsável da força policial autonómica, são acusados de não terem intervido para evitar as cenas de vandalismo e de assédio contra os elementos das forças nacionais. Os juízes do tribunal da Audiência Nacional deverão igualmente analisar uma queixa do sindicato da Guardia Civil que prolonga o período de alegada desobediência até ao referendo de domingo.

Entre os convocados encontram-se ainda os presidentes das duas principais associações separatistas catalãs, a Omnium e a Assembleia Nacional Catalã, quando os seus militantes são suspeitos de terem vandalizado várias viaturas de polícia.

A convocação da justiça ocorre num momento em que Madrid pondera a possibilidade de assumir o controlo direto da polícia catalã face à ameaça de uma declaração unilateral de independência, à luz de uma lei de segurança aprovada há dois anos.
Versão original