This content is not available in your region

O presente que Gustavo Dudamel deu à Colômbia

O presente que Gustavo Dudamel deu à Colômbia
De  Euronews

<p><a href="http://www.gustavodudamel.com/">Gustavo Dudamel</a> voltou a enfeitiçar o público. O carismático maestro venezuelano apresentou, pela primeira vez, <a href="http://www.huffingtonpost.com/laurence-vittes/whats-new-on-old-music_b_5890822.html">o conjunto das sinfonias de Beethoven</a> no Teatro Mayor de Bogotá, na Colômbia.</p> <p>Perante ele estava a Orquestra Simón Bolívar, celebrada mundialmente como a jóia da coroa do chamado “sistema” musical venezuelano, que incentiva jovens de contextos desfavorecidos a <a href="https://pt.wikipedia.org/wiki/El_Sistema">mergulhar no mundo da música clássica</a>. Um presente para o público colombiano…</p> <p><em>“Antes de mais, a Venezuela tem uma relação histórica com a Colômbia. São países irmãos. Há uma ligação direta através de Simón Bolívar, que nos deu a independência. Bolívar e Beethoven viveram no mesmo período e acredito que tenham partilhado os mesmos ideais. É isso que torna esta apresentação tão especial”</em>, afirma Dudamel.</p> <p>Segundo o maestro, <em>“a irmandade e a partilha são valores que fazem cada vez mais sentido nos dias que correm. As pessoas precisam de criar mais pontes. Mas, todos os dias, os seres humanos constroem mais fronteiras e menos pontes. A música é uma linguagem universal e a mais universal que existe é a de Beethoven, que nos falou justamente dessa irmandade e dessa felicidade que devemos partilhar.”</em></p> <p><strong>Para aceder a mais excertos da entrevista ao maestro Gustavo Dudamel, clique na ligação</strong> </p> <p><a href="http://pt.euronews.com/2015/07/21/um-ensaio-com-uma-orquestra-como-nao-ha-outra/">Um ensaio com uma orquestra como não há outra</a></p>