This content is not available in your region

Jonathan Yeo: Retratos de celebridades em exposição na Dinamarca

Jonathan Yeo: Retratos de celebridades em exposição na Dinamarca
De  Nara Madeira

<p><a href="http://jonathanyeo.com/">Jonathan Yeo</a>, o retratista mais conceituado do Reino Unido, tem uma nova exposição retrospetiva no <a href="http://en.natmus.dk/">Museu de História Nacional da Dinamarca</a>. O artista é conhecido por retratar figuras públicas, dos políticos à realeza passando pelas celebridades de Hollywood. Para ele retratar estas pessoas é um verdadeiro desafio: </p> <p>“É problemático quando são pessoas muito boas a “enganar-nos”, artistas particularmente, dos músicos aos atores mas passando também pelos políticos, são sujeitos problemáticos. E desse ponto de vista, muito do meu trabalho no passado tinha como objetivo captar o máximo de uma pessoa numa imagem. Mas tive sempre na minha mente a ideia de que seria interessante fazer o inverso. Em vez de fazer uma série de imagens individuais de pessoas, repetir o mesmo tema uma e outra vez”, adianta o retratista. </p> <blockquote class="twitter-tweet" data-lang="pt"><p lang="en" dir="ltr">New paintings of <a href="https://twitter.com/hashtag/caradelevingne?src=hash">#caradelevingne</a> to be unveiled at the Museum of National History, Copenhagen <a href="https://twitter.com/mus_nat_his"><code>mus_nat_his</a> in March <a href="https://t.co/CaJMU0dhn8">pic.twitter.com/CaJMU0dhn8</a></p>&mdash; Jonathan Yeo (</code>RealJonathanYeo) <a href="https://twitter.com/RealJonathanYeo/status/694239724941213697">1 fevereiro 2016</a></blockquote> <script async src="//platform.twitter.com/widgets.js" charset="utf-8"></script> <p>Ou seja, vários retratos de um mesmo sujeito, como o seu último trabalho de Cara Delevingne. Mas num momento em que as <em>selfies</em> invadiram o mundo digital e real, o retrato é visto numa perspetiva diferente: </p> <p>“Este é um momento em que fazemos, criamos, consumimos, distorcemos, partilhamos imagens de nós próprios e particularmente retratos – muitas vezes autorretratos – diariamente, nos <em>media sociais</em>, em plataformas como o <em>Instagram</em> e o <em>Facebook</em>. Vemos muitas imagens de rostos mas já não os vemos da forma como fazíamos no passado”, explica Yeo. </p> <p>A retrospetiva do artista britânico Jonathan Yeo pode ser vista no Museu de História Nacional da Dinamarca de 20 de março até 30 de junho.</p>