This content is not available in your region

Perante a guerra, a harmonia da música

Perante a guerra, a harmonia da música
De  Euronews

<p><strong>A música e o apaziguamento das nossas angústias…</strong> <a href="http://www.newyorker.com/magazine/2013/10/07/mastersinger">Joyce DiDonato</a>, <strong>a cantora lírica que muito tem dado que falar no mundo da ópera, apresentou uma</strong> <a href="http://www.sfchronicle.com/performance/article/Joyce-DiDonato-to-perform-In-War-and-Peace-10634769.php">original criação</a> <strong>sobre a guerra e a paz, através de um conjunto de árias barrocas.</strong></p> <p>A proposta da <a href="https://www.theguardian.com/music/2014/sep/19/joyce-didonato-interview-barbican-spotlight-concerts">mezzo-soprano americana</a> Joyce DiDonato é arrojada: fazer uma <a href="http://www.sfgate.com/music/article/Joyce-DiDonato-In-War-Peace-review-10634775.php">travessia musical pelo horror da guerra</a> em contraste com a harmonia de algumas das mais afamadas árias barrocas, seja de Haendel, Purcell ou Jommelli.</p> <blockquote class="twitter-tweet" data-lang="fr"><p lang="en" dir="ltr">Wed. night, <a href="https://twitter.com/JoyceDiDonato"><code>JoyceDiDonato</a> at <a href="https://twitter.com/TheFollyTheater"></code>TheFollyTheater</a>. We'll have her new album, featured in the concert, tomorrow after 9 AM. <a href="https://twitter.com/hashtag/MyKPR?src=hash">#MyKPR</a> <a href="https://t.co/ALAtJ7cbDv">pic.twitter.com/ALAtJ7cbDv</a></p>— <span class="caps">KPR</span> Classical (@kprclassical) <a href="https://twitter.com/kprclassical/status/805841705677230080">5 décembre 2016</a></blockquote> <script async src="//platform.twitter.com/widgets.js" charset="utf-8"></script> <p>A cantora apresentou esta criação no <a href="https://www.musiikkitalo.fi/en">Centro Musical de Helsínquia</a> juntamente com a orquestra Il Pomo d’ Oro. <em>“Recorremos a compositores majestosos, que viveram há séculos, para olhar para os dois lados da Humanidade: o da escuridão e o da luz, a desordem e a serenidade. Começamos com uma peça de Haendel que retrata um sentimento premonitório antes da destruição”</em>, diz-nos.</p> <p><em>“Tornamo-nos reféns, mergulhamos na escuridão e ansiamos pela luz. E quando ela chega, a obscuridade ainda chama por nós ao fundo… Oscilamos sempre entre um mundo e outro. A minha ideia era agitar as consciências, levar o público a confrontar-se com algo que é desconfortável e também excitante. Para isso, recorro igualmente aos figurinos e à maquilhagem. As pinturas que coloco iluminam este mundo feito de cicatrizes, sangue e feridas. As cicatrizes prolongam-se em tempo de paz, mas transformam-se em luz e água e flores”</em>, declara a cantora.</p> <p>DiDonato assume o seu grande “idealismo” e explica-nos porquê: <em>“Acho realmente que temos a capacidade de mudar o mundo. Acho realmente que a música tem o poder de sarar. Acho realmente que a música é muito mais poderosa do que as tecnologias modernas. Toca as pessoas no coração. Quero mostrar que todos temos o poder de escolha. Podemos ficar na escuridão ou alimentar a luz e deixá-la crescer na nossa vida”.</em></p> <p>_____________________________________________________</p> <p>Os próximos concertos de Joyce DiDonato serão em Chicago (9/12), Rochester (12/12) e Nova Iorque (15/12). Há já datas previstas na Europa entre os meses de maio e junho de 2017. Pode encontrar informações sobre os concertos e vídeos <a href="http://inwarandpeace.com/tour/">aqui</a>. </p> <p>“In War & Peace”, de Joyce DiDonato juntamente com a orquestra Il Pomo d’Oro, dirigida por Maxim Emelyanychev, foi lançado em novembro pela Parlophone/Erato/Warner Classics.</p>