This content is not available in your region

Exposição de fotografias de Sebastião Salgado abre portas em Lyon

Exposição de fotografias de Sebastião Salgado abre portas em Lyon
Direitos de autor  euronews
De  euronews

O trabalho fotográfico de Sebastião Salgado está em exposição na cidade francesa de Lyon.

Intitulado "Génesis", o conjunto de fotografias do fotógrafo brasileiro mostra, ao mesmo tempo, a beleza da natureza e a destruição de que ela está a ser alvo, devido às atividades humanas.

As mais de duzentas fotografias a preto e preto são o resultado de oito anos de trabalho e trinta viagens pelo mundo. "Na exposição Génesis, vemos a terra, os animais ligados à terra e o homem. Terminei há pouco tempo um trabalho de sete anos na Amazónia, com comunidades indígenas. O homem é um animal da terra, um animal como os outros, fazemos parte do reino animal", disse à euronews Sebastião Salgado.

euronews

A arte da fotografia a preto e branco

A exposição mostra uma série de reportagens iniciada em 2004. Todas as fotografias são a preto e branco. "Depois de uma série fotográfica que eu fiz no Brasil em 1986, e que foi publicada em 1987, sobre uma mina de ouro, todas as revistas recomeçaram a publicar fotos a preto e branco. As fotografias eram impressionantes e foram publicadas em imensas revistas, o que acabou por dar-me imensa visibilidade. Nessa altura deu-se o regresso do preto e banco. E eu agradeço, porque acabei por dedicar-me às imagens a preto e branco e nunca mais regressei à cor", contou o fotógrafo.

euronews

"É preciso regressar à terra"

Além dos animais, das aves e das plantas, Sebastião Salgado procura retratar as comunidades humanas que ainda continuam a viver segundo culturas e tradições antigas. Para o fotógrafo brasileiro, a humanidade deve voltar a ligar-se à terra.

"É preciso regressar à terra, regressar ao nosso planeta. Sei que não voltaremos a viver em cavernas nem em florestas, mas é preciso, pelo menos, um regresso espiritual ao planeta. A ecologia tornou-se um discurso puramente urbano. Na COP 21 em Paris há cinco anos houve várias propostas, nada foi feito. Sabe porquê? Porque não convidamos os camponeses, as pessoas que estão ligadas à terra e ao planeta. É uma reunião de pessoas urbanas", sublinhou o artista brasileiro.

euronews

Fotógrafo plantou 2,7 milhões de árvores

Ao lado da mulher, a arquiteta Lélia Wanick Salgado, o fotógrafo brasileiro lançou há vinte anos, um projeto colossal: replantar milhões de árvores na fazenda da família que tinha ficado completamente destruída devido à agricultura intensiva e à deflorestação.

"Plantámos dois milhões e meio de árvores, até um pouco mais, dois milhões e setecentos mil árvores. Vamos agora plantar mais um milhão. Tínhamos uma terra cansada, morta e, hoje, voltámos a ter uma terra rica. É a altura certa para plantar árvores que vão ficar na terra, 500 ou mil anos e que precisam de uma terra de qualidade e de sombra para poderem crescer", afirmou Sebastião Salgado.

A exposição "Génesis", do fotógrafo brasileiro Sebastião Salgado, pode ser contemplada na cidade francesa de Lyon até 10 de maio de 2020.