Aquacultura extensiva e proteção dos ecossistemas

Aquacultura extensiva e proteção dos ecossistemas
Direitos de autor  Euronews
De  Denis Loctier  & euronews

Se for bem gerida, a aquacultura extensiva pode ter um impacto positivo nos ecossistemas e ajudar a preservar a biodiversidade.

A absorção do excesso de nutrientes e de matéria orgânica é um dos serviços prestados pela criação de peixe em lagoas, uma prática comum na República Checa desde a idade média.

"A aquacultura extensiva é uma forma de produzir peixe em que não temos um controlo total sobre o processo. Trata-se de libertar os peixes no ambiente e tentar utilizar os recursos que estão livremente disponíveis na natureza. Essas lagoas também prestam outros serviços além de conterem peixe. Por exemplo, podem evitar inundações. Retêm água quando temos água em quantidade suficiente, e libertam-na continuamente para o ambiente. Também equilibram o micro-clima que nos rodeia. Fornecem humidade durante os dias quentes. Permitem aumentar a biodiversidade e proporcionam um espaço de vida para vários organismos que necessitam de água", explicou Vladimír Zlábek, diretor do CENAKVA, Centro de Investigação de Aquacultura e Biodiversidade de Hidrocenoses da Boémia do Sul, na República Checa.

O papel dos pescadores na preservação dos ecossistemas

Os pescadores mantêm as lagoas e gerem a água. Os peixes dessas lagoas fazem parte do ecossistema, e nós precisamos deles. Caso contrário, mais cedo ou mais tarde, as lagoas ficariam cheias de lama. Nós não queremos isso. Queremos um equilíbrio entre a produção de peixe e os outros serviços prestados por essa atividade", acrescentou o investigador do CENAKVA.