This content is not available in your region

Como gere a UE a migração e quais as condições de acolhimento que oferece?

Access to the comments Comentários
De  Euronews
Como gere a UE a migração e quais as condições de acolhimento que oferece?

<p>Esta semana, o U-Talk apresenta um formato especial com duas perguntas de telespetadores em vez de apenas uma. Muitos foram os que reagiram à edição da semana passada do nosso programa Repórter, onde expusemos o drama dos migrantes bloqueados em Calais, no norte da França.</p> <p>Nunca houve tantas pessoas a fugir de guerras e em busca de refúgio numa União Europeia (UE) acusada de laxismo e abandono face a estes mesmos refugiados. Selecionámos duas questões.</p> <p>Samir perguntou-nos: “O que faz a União Europeia para gerir estes fluxos migratórios?”</p> <p>Claude, por outro lado, quer saber: “Terá a Europa condições para acolher estes refugiados?”</p> <p>A jornalista Valérie Gauriat responde, a propósito da reportagem que efetuou em Calais:<br /> ( <a href="http://pt.euronews.com/2015/04/02/imigracaocalais-e-melhor-arriscar-e-morrer/">Clique nesta ligação para rever a referida reportagem</a> ) </p> <p>“O problema da União Europeia é estar ainda à procura de uma política de imigração comum. Existe todo um arsenal de medidas, muitas delas, porém, não vinculativas. Cabe à agência Frontex gerir a cooperação entre as fronteiras externas europeias através de um dispositivo de segurança que é muito contestado. </p> <blockquote class="twitter-tweet" lang="pt"><p>A <a href="https://twitter.com/hashtag/imigra%C3%A7%C3%A3o?src=hash">#imigração</a> através das fronteiras externas da UE é fonte de desafios e debate. Descubra o que faz Agência <a href="https://twitter.com/hashtag/Frontex?src=hash">#Frontex</a> <a href="http://t.co/fRppcbHPsQ">http://t.co/fRppcbHPsQ</a></p>— Parlamento Europeu (@Europarl_PT) <a href="https://twitter.com/Europarl_PT/status/580671730764652545">25 março 2015</a></blockquote> <script async src="//platform.twitter.com/widgets.js" charset="utf-8"></script> <p> “Não só o número de migrantes aumenta com os conflitos, também os riscos se agravam. O sistema de asilo europeu choca com a Convenção de Dublin, a qual exige que o migrante peça asilo no país onde entrou na Europa. Se for para outro, ele pode ser deportado para esse país de chegada. <p>“Enquanto cada Estado-membro passa a bola ao outro, milhares de pessoas são mantidas meses ou até anos na clandestinidade e na precariedade. Conseguir os vistos revela-se uma corrida de obstáculos. Por vezes demasiado longa. Mas quando se foge de uma guerra ou de uma ditadura, há urgência.</p> <p>“Em relação à capacidade de acolhimento, a Europa está a envelhecer e alguns países carecem de mão-de-obra. Há um problema de distribuição dos refugiados entre os países e nem todos eles aceitam ficar.</p> <p>“É de notar também que são os países em desenvolvimento que recebem 80 por cento dos refugiados mundiais. Podemos questionar, por fim, a responsabilidade da UE face às vítimas de conflitos e de regimes muitas vezes apoiados pelos próprios Estados-membros europeus.”</p> <h3>Informação útil</h3> <ul> <li><a href="http://ec.europa.eu/immigration/o-portal-europeu-da-imigracao-inicio_pt">Como entrar no espaço da União Europeia? Toda a infortmação no portal da UE sobre imigração</a></li> </ul> <p>Se também desejar esclarecer algum tipo de assunto europeu, não hesite e utilize o botão em baixo para deixar a sua pergunta.</p>