This content is not available in your region

Relações UE-Rússia: Bruxelas deve prolongar sanções por mais seis meses

Access to the comments Comentários
De  Euronews
Relações UE-Rússia: Bruxelas deve prolongar sanções por mais seis meses

<p>As sanções da União Europeia contra a Rússia devem ser prolongadas por mais seis meses. De acordo com fontes de Bruxelas, a decisão deve ser tomada no encontro de ministros dos negócios estrangeiros que decorre na próxima semana. </p> <p>Do lado de Moscovo, continua a interdição à importação de produtos vindos de Estados-membros. Uma medida que afeta sobretudo o setor alimentar.</p> <p>Nikolai Ostarkov, vice-presidente do “Business Russia” explica que “os fabulosos queijos franceses estão a ser substituidos por queijos produzidos na Rússia, mas a qualidade está a aumentar. O processo de substituiçao das importações está em marcha”.</p> <blockquote class="twitter-tweet" data-lang="pt"><p lang="en" dir="ltr">.<a href="https://twitter.com/JunckerEU"><code>JunckerEU</a>: "I have a strong preference for pipelines that unite over pipelines that divide." <a href="https://t.co/Bq5sclWmL5">pic.twitter.com/Bq5sclWmL5</a></p>&mdash; Martin Selmayr (</code>MartinSelmayr) <a href="https://twitter.com/MartinSelmayr/status/743381642132262912">16 de junho de 2016</a></blockquote> <script async src="//platform.twitter.com/widgets.js" charset="utf-8"></script> <p>Numa tentativa de aproximação, o presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker fez questão de marcar presença no Fórum Económico Internacional que está a decorrer em S. Petersburgo mas deixou recados.</p> <p>“Deixem-me ser claro. Em relação ao acordo de Minsk, a União Europeia está unida, tal como o G7. A Rússia faz parte desse acordo. Por isso, o próximo passo é claro: total implementação dos acordos. Nem mais, nem menos. É a única forma de começar as negociações, é a única forma de levantar as sanções económicas que foram impostas”, garantiu Juncker.</p> <p>Recorde-se que o acordo de Minsk assinado no ano passado exige um cessar fogo e a entrega de armanento pesado nos territórios pró-russos do leste da Ucrânia. Exigências que estão longe de estar cumpridas.</p>