This content is not available in your region

Engie suspeita de favorecimento fiscal no Luxemburgo

Access to the comments Comentários
De  Isabel Marques da Silva  com AFP
Engie suspeita de favorecimento fiscal no Luxemburgo

<p>A multinacional francesa de eletricidade Engie, até há pouco tempo conhecida como <span class="caps">GDF</span> Suez, é suspeita de ter recebido favorecimento fiscal do governo do Luxemburgo.</p> <p>A Comissão Europeia lançou, por isso, esta segunda-feira, uma investigação aprofundada para apurar se a empresa recebeu vantagens no pagamento de impostos, em violação das regras da União Europeia relativas aos auxílios estatais.</p> <p>Esta investigação analisa duas operações financeiras, realizadas em 2009 e 2011. </p> <p>“Parece que uma parte significativa dos lucros registrados pela <span class="caps">GDF</span> Suez no Luxemburgo através destes operações não foi de todo sujeita a imposto”, observa a Comissão. </p> <p>“Se se confirmadar, tal significaria que a <span class="caps">GDF</span> Suez beneficiou de um auxílio estatal ilegal”, concluiu o executivo.</p> <p>Contactado pela <span class="caps">AFP</span>, a Engie disse “tomar nota” da abertura do procedimento e “irá cooperar plenamente com a Comissão”.</p> <p>Não é a primeira vez que a comissária para a Concorrência analisa acordos feitos pelo governo do Luxemburgo, que teve de recuperar impostos da francesa Fiat. </p> <p>Em análise estão, ainda, as norte-americanas McDonalds e Amazon.</p> <p>O mais recente e polémico caso envolveu a Apple, na Irlanda, com a empresa a ter de entregar 13 mil milhões de euros em impostos não cobrados.</p>