This content is not available in your region

John Kerry despediu-se de homólogos europeus na NATO

Access to the comments Comentários
De  Isabel Marques da Silva
John Kerry despediu-se de homólogos europeus na NATO

<p>John Kerry viajou para Bruxelas, esta terça-feira, para se despedir dos homólogos europeus numa reunião da <span class="caps">NATO</span>. </p> <p>O secretário de Estado norte-americano poderá deixar algumas saudades face às posições críticas do republicano Donald Trump, mas o líder da <span class="caps">NATO</span> quis serenar os ânimos. </p> <p>“No centro da reunião está a importância do vínculo transatlântico, do vínculo entre a Europa e América do Norte. Uma maneira de fortalecer esse vínculo é através do reforço da cooperação entre <span class="caps">NATO</span> e a União Europeia”, disse Jens Stoltenberg. </p> <p>Um dos pontos quentes é o financiamento da Aliança Atlântica, com o presidente eleito dos Estados Unidos a prometer cortar nas verbas, exigindo que os europeus paguem mais. </p> <p>Mas essa transição seria inevitável mesmo com um democrata ,disse um analista político à euronews. </p> <p>“Os Estados Unidos cobrem cerca de 73% do orçamento total da Aliança, o que é quase o quádruplo, por soldado, do que aquilo que paga, em média, a União Europeia. Não é algo sustentável e já era uma posição conhecida na política externa norte-americana. Washington quer que a Europa cuide da sua própria segurança, independentemente de estar um democrata ou um republicano na Casa Branca. Esta posição veio para ficar”, explicou Bruno Lete, do German Marshall Fund. </p> <p>Em 2014, <span class="caps">NATO</span> decidiu que cada membro deve gastar pelo menos 2% do <span class="caps">PIB</span> em defesa.</p>