This content is not available in your region

UE reforça as sanções contra a Coreia do Norte

Access to the comments Comentários
De  Isabel Marques da Silva
UE reforça as sanções contra a Coreia do Norte

<p>Face ao risco de colapso do acordo nuclear com o Irão, a Comissão Europeia tenta assumir o protagonismo para travar a proliferação nuclear. </p> <p>Além da visita, em breve, aos Estados Unidos, a chefe da diplomacia da União Europeia, Federica Mogherini, confirmou o aumento das sanções contra o regime norte-coreano. </p> <p>“Estamos a elevar a pressão económica e diplomática por parte da União Europeia sobre a Coreia do Norte para um nível máximo. A Coreia do Norte é o país do mundo ao qual a União aplica o regime mais duro de sanções”, referiu Federica Mogherini, aos jornalistas. </p> <p><blockquote class="twitter-tweet" data-lang="en"><p lang="en" dir="ltr">North Korea has over the years mastered the art of masking its international economic activity <a href="https://t.co/PjNpAhy4pg">https://t.co/PjNpAhy4pg</a></p>— Wall Street Journal (@WSJ) <a href="https://twitter.com/WSJ/status/919971240227540997?ref_src=twsrc%5Etfw">October 16, 2017</a></blockquote><br /> <script async src="//platform.twitter.com/widgets.js" charset="utf-8"></script></p> <p>A decisão foi tomada por unanimidade numa reunião dos 28 ministros dos Negócios Estrangeiros da União Europeia, segunda-feira, no Luxemburgo, e pretende desencorajar o regime de Pyongyang de efetuar novos testes com material nuclear. </p> <p>“Além das sanções, a União Europeia inicia uma ofensiva diplomática junto de vários países para pressionarem o regime norte-coreano e a China é um dos países mais importantes nesse esforço”, acrescentou Sandor Sziros, enviado da euronews ao Luxemburgo.</p>