This content is not available in your region

Eurodeputados pedem justiça para jornalista assassinada

Access to the comments Comentários
De  Isabel Silva
Eurodeputados pedem justiça para jornalista assassinada

<p>Depois de apelar a um minuto de silêncio em memória de Daphne Caruana Galizia, o presidente do Parlamento Europeu defendeu a intervenção da Europol no inquérito ao atentado à bomba que vitimou a jornalista maltesa. </p> <p>Conhecida pela investigação de casos de corrupção, a jornalista era alvo de ameaças de morte. </p> <p>“As nossas instituições estão a falhar, o Estado de direito em Malta é problemático, temos um sistema institucional enfraquecido e temos de corrigir tudo isto. E alguém deveria assumir a responsabilidade por essa situação”, disse David Casa, eurodeputado maltês de centro-direita. em entrevista à euronews.</p> <p><blockquote class="twitter-tweet" data-lang="en"><p lang="en" dir="ltr"><a href="https://twitter.com/hashtag/EPlenary?src=hash&ref_src=twsrc%5Etfw">#EPlenary</a> honoured murdered Maltese journalist Daphne Caruana Galizia w minute’s silence. Media freedom debate pm <a href="https://t.co/iSXc8GKMTE">https://t.co/iSXc8GKMTE</a> <a href="https://t.co/WDeMLhwsI0">pic.twitter.com/WDeMLhwsI0</a></p>— European Parliament (@Europarl_EN) <a href="https://twitter.com/Europarl_EN/status/922774227408834560?ref_src=twsrc%5Etfw">October 24, 2017</a></blockquote><br /> <script async src="//platform.twitter.com/widgets.js" charset="utf-8"></script></p> <p>Dedicada à investigações sobre corrupção, a jornalista tinha em mãos mais um caso quente, segundo um eurodeputado alemão. </p> <p>“É muito importante encontrar os assassinos de Daphne, mas também é preciso levar a sério o trabalho dela. Deve haver uma investigação completa e independente, com apoio internacional, por exemplo, vindo do procurador anti-máfia da Itália sobre alguns dos casos que a Daphne revelou”, disse Sven Giegold, ecologista. </p> <p>O eurodeputado refere-se a uma investigação sobre uma rede ilícita de contrabando de combustível a operar na Líbia, Malta e Itália. </p> <p>O procurador italiano Carmelo Zuccaro disse que a rede de crime organizado implicada no caso poderá estar por trás do assassinato da jornalista.</p> <p>Cancelar Ace</p>