This content is not available in your region

Turquia tenta aproximação europeia via França

Access to the comments Comentários
De  Isabel Silva
Turquia tenta aproximação europeia via França

<p>A primeira visita do Presidente da Turquia a França desde a tomada de posse de Emmanuel Macron está a ser vista pelos analistas como uma tentativa de RecepTayyip Erdogan para melhorar as frias relações com a União Europeia. </p> <p>Mas o encontro, sexta-feira, em Paris, não vai descongelar as negociações com vista à adesão do país à União, segundo o analista político Marc Pierini. </p> <p>“No que se refere à negociação entre a União Europeia e a Turquia, não creio que esta visita permita fazer avanços porque a ausência de Estado de direito, ou melhor, o desmantelamento do Estado de direito – segundo a definição europeia desse conceito – está agora consagrado na lei”, explicou, à euronews, o perito do centro de estudos Carnegie Europe, em Bruxelas. </p> <p>Marc Pierini refere-se à reforma constitucional levada a cabo depois do golpe de Estado falhado, em julho de 2016, que transformou Erdogan num líder com poder quase absoluto. </p> <p><blockquote class="twitter-tweet" data-lang="en"><p lang="en" dir="ltr">France’s Macron criticises Turkish gov’t over press freedom ahead of Erdoğan’s visit <a href="https://t.co/xmQiXuKuPf">https://t.co/xmQiXuKuPf</a> <a href="https://t.co/9kuT4GWQgw">pic.twitter.com/9kuT4GWQgw</a></p>— <span class="caps">SCF</span> (@StockholmCF) <a href="https://twitter.com/StockholmCF/status/948895841317683200?ref_src=twsrc%5Etfw">January 4, 2018</a></blockquote><br /> <script async src="https://platform.twitter.com/widgets.js" charset="utf-8"></script></p> <p>“A verdadeira questão, na minha opinião, é a luta contra o terrorismo que afeta a Turquia, a França e outros países europeus tais como a Bélgica e a Alemanha. Em segundo lugar, há que repensar o acordo de união aduaneira entre as partes”, acrescentou o analista. </p> <p>A França deverá, ainda, querer abordar a situação dos direitos humanos na Turquia já que continuam presas 55 mil pessoas acusadas de conspiração contra o regime. </p> <p>Grande parte destes temas deverá ser abordada, no sábado, pelo chefe da diplomacia alemã, Sigmar Gabriel, que visitará o seu homólogo, Mevlut Cavusoglu, em Ancara (capital da Turquia).</p>